Contos Populares e Lendas I

VASCONCELLOS, J. Leite de,, Coimbra, por ordem da universidade, 1963

Collected records

Results 1 thru 18
Page 1 of 1

APL 1870
[A Cadeira Divina]

(314)
-, VILA NOVA DE FAMALICÃO, BRAGA

Quando Deus foi fazer o Inferno ficou Luz-de-Vela (Lusbel ?) na cadeira divina; ao voltar, não lhe queria Luz-de-Vela restituir a cadeira, alegando que o Senhor lha tinha dado.
 Dizia ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1888
[A Mãe do Diabo]

(451)
Cortes Do Meio, COVILHÃ, CASTELO BRANCO

Uma menina muito linda apareceu a um homem e disse-lhe que, se lhe tirasse o encanto, o faria feliz; mas logo o preveniu de que ela havia de lhe aparecer ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1894
A Menina Encantada

(522)
Mexilhoeira Grande, PORTIMÃO, FARO

Uma rapariga guardava uns porcos numa vinha, que pertencia ao pai. Viu entrar na vinha dois homens a cavalo, que traziam uma menina montada num dos cavalos, entre dois sacos ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1893
[A Mulher do Lobisomem]

(475)
Barcelos, BARCELOS, BRAGA
Types: 4005,

Uma vez uma mulher, cujo marido era lobisomem, virou-lhe o fato, que ele deixou em casa; imediatamente o lobisomem voltou aos pinotes, já no estado natural, mas nu.

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1892
A Mulher do Lobisomem

(475)
-, COIMBRA, COIMBRA
Types: 4005,

Uma vez estava uma mulher à janela e viu passar um lobisomem. Este, mal a viu, investiu com ela, mas apenas lhe roçou pelo fato, sem lhe fazer mal. No ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1914
Aparição

(441-442)
Mexilhoeira Grande, PORTIMÃO, FARO

Uma família foi morar numa casa, onde apareciam coisas. Nessa família havia uma pequena de uns doze anos. Na primeira noite, que lá dormiram, parceu à pequena, no quarto ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1884
A Princesa Encantada em Cobra

(231-233)
-, BEJA, BEJA

Havia um moinho muito velho chamado da Torre. Diziam que apareciam lá medos e ninguém para lá queria ir habitar, até que foi para lá um moleiro mais a ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1869
[A Velha que Concebeu]

(271-272)
Santa Cruz Do Douro, BAIÃO, PORTO

Q’ando o Senhor andaba pelo Mundo e mais S. Pedro, encontrou uma velhinha muito velhinha e não tinha tido filho nenhum. Ora diss’agora o Senhor:
 — Agora v ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1889
[Loba-Mulher]

(452-454)
-, GUARDA, GUARDA

Era uma vez um homem ainda novo, que trabalhava numa quinta. Havia dois ou três homens no mesmo sítio, mas nenhuma mulher, a não ser a mulher ...

[Unsure / Uncommitted] [Ludic written text]

APL 1960
O Carneiro

(399-400)
Baião (Santa Leocádia), BAIÃO, PORTO

Ua ocasião vinha um home por uma estrada adiéinte e chigou a um ribeiro e encontrou um anho a berrar, e ele dixe:
 — Ai, que carneirinho aqui anda ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 2101
O Homem e as Bruxas

(422-423)
-, CHAVES, VILA REAL

Uma vez um homem deitou na pia da água-benta dinheiro em prata, pelo que ficaram na igreja várias mulheres. À noite o homem foi levar a ceia a um pastor ...

[Unsure / Uncommitted] [Memory transcription]

APL 1891
O Lobisomem

(461-464)

Quando eu era pequeno, uma d’as histórias que mais me faziam eriçar os cabelos era a do lobisomem.
 Aquele monstro, meio animal, meio homem, galopando na estrada ...

[Unsure / Uncommitted] [Ludic written text]

APL 1871
[O Medronheiro]

(374)
Baião (Santa Leocádia), BAIÃO, PORTO

No começo do Mundo, o Diabo pediu a Deus uma árvore. E Deus deu-lhe o medronheiro (ou morangueiro, porque aqui alternam os nomes), quando não tivesse fruto. Por ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1885
Os Dois Sacos

(397)
Mexilhoeira Grande, PORTIMÃO, FARO

Uns rapazes guardavam bezerros, que pastavam. A um deles, que andava mais afastado, apareceu um homem com dois sacos atados. Pediu-lhe que os desatasse com os dentes. Insistiu para que ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1886
[O Trasgo Loiceiro]

(430-431)
Torre De Moncorvo, TORRE DE MONCORVO, BRAGANÇA

Uma mulher andava a mudar de casa; já estava tudo mudado e só faltava um banquinho; nisto o banquinho começa a andar; pergunta-lhe a mulher:
 — Onde vais?
 Responde ele ...

[Unsure / Uncommitted] [Memory transcription]

APL 1872
[Sansão]

(456)
Mexilhoeira Grande, PORTIMÃO, FARO

Sansão era irmão de Salamão. Era de muita força e tiraram-lhe os olhos. Dês que se viu cego, quis morrer, mas não sòzinho ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1887
[Um Miedo]

(440-441)
Duas Igrejas, MIRANDA DO DOURO, BRAGANÇA

Iou sali de lâ vila de Mogadouro, e ihebába la cochina [porca] préza c’üa côrda, e ai chegar â la borda d’úa capiêlha [capela], saliu-me ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1895
Um Sonho

(523)
Mexilhoeira Grande, PORTIMÃO, FARO

Uma mulher sonhou, durante três noites, que havia um pé de salsa junto de um poço, onde ia todos os dias buscar água, e que devia regar esse ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]
Results 1 thru 18
Page 1 of 1