Criações do Génio Popular

CUNHA, Jorge da,, Arruda dos Vinhos, Associação para a Recuperação do Património de Arruda, 1997

Collected records

Results 1 thru 25
Page 1 of 2       1 | 2 >

APL 396
A Aposta

(51)
Arruda Dos Vinhos, ARRUDA DOS VINHOS, LISBOA

Um homem apostou com outro que ele não era capaz de passar no cemitério à meia-noite.
 Nesse mesmo dia, à hora marcada, lá estava o segundo homem à porta do adro ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 405
A Bruxa d’ Arruda

(67)
Arruda Dos Vinhos, ARRUDA DOS VINHOS, LISBOA

Conta o povo desta terra escondida entre os montes que durante muitas gerações por aqui viveram algumas bruxas. Curavam os doentes, davam alegria a quem vivia na tristeza, tiravam ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 408
A Bruxa e o Burro

(71)
-, ARRUDA DOS VINHOS, LISBOA
Motifs: C420.,

Diz o povo que em tempos longínquos, numa noite de lua cheia em Á-dos-Arcos, vivia um homem que costumava ir ao ferro velho no seu burro.
 Certo dia, à meia-noite ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 404
A Cobra

(66)
Arruda Dos Vinhos, ARRUDA DOS VINHOS, LISBOA

Diz-se que certa vez umas raparigas, que andavam a apanhar a espiga na Senhora do Monte, ouviram uma grande restolhada e, quando olharam, viram uma cobra enorme, de vinte cent ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 387
A Cova do Gigante (1)

(27-29)
Arruda Dos Vinhos, ARRUDA DOS VINHOS, LISBOA

Canta o povo que há muito, muito tempo, deambulava pelos matagais e serras de Arruda dos Vinhos um severo gigante. Era tão grande como perverso e aterrorizava todas as ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 388
A Cova do Gigante (2)

(30-31)
Arruda Dos Vinhos, ARRUDA DOS VINHOS, LISBOA

Em Arruda dos Vinhos havia um gigante que aterrorizava as pessoas: comia todos os animais, pois era enorme e precisava de muito alimento.
 Isto não podia continuar!
 Mais dia ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 475
A lenda do Senhor Jesús de Alvor

(65)
Alvor, PORTIMÃO, FARO

Dizem pessoas muito antigas que o Senhor Jesús que está aqui na Igreja de Alvor veio dar à praia e foi encontrado por uns pescadores e que por isso é que ...

[Some Belief] [Oral transcription]

APL 403
A Parteira

(63-65)
Arruda Dos Vinhos, ARRUDA DOS VINHOS, LISBOA
Types: 5070,

Dizem os velhotes que antigamente havia em Arruda dos Vinhos uma parteira diplomada paga pela Câmara e que tinha como obrigação assistir a todos os partos.
 Certa noite ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 410
A Perua

(74)
Arruda Dos Vinhos, ARRUDA DOS VINHOS, LISBOA

Conta o povo que em certa noite, encruzilhada de caminhos, um homem abrigando-se junto de um portão, da forte tempestade que deflagrava em Arruda dos Vinhos, lhe apareceu uma ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 412
A Vinha

(77-78)
-, ARRUDA DOS VINHOS, LISBOA

Era uma vez uma rapariga que andava nas vindimas. Ela namorava um rapaz muito bonito e simpático. Todos os dias se encontrava com ele atrás de umas videiras ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 395
Batidas no Cemitério

(50)
Arruda Dos Vinhos, ARRUDA DOS VINHOS, LISBOA

Conta-se que no tempo dos nossos avós, quem passasse por volta da meia-noite ao cemitério de Arruda, local assustadoramente nublado e medonho, ouvia as pancadas de um pau ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 416
D. Manuel I de Portugal

(83)
Arruda Dos Vinhos, ARRUDA DOS VINHOS, LISBOA

Durante o reinado de D. Manuel I deflagrou em Portugal a terrível peste negra que dizimou centenas e centenas de pessoas.
 Toda a gente andava preocupada com esta doen ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 415
João I de Castela

(82)
Arruda Dos Vinhos, ARRUDA DOS VINHOS, LISBOA

Durante o reinado de D. Fernando I de Portugal, faleceu a princesa D. Beatriz, que era casada com João I de Castela. Este, devido ao facto da princesa ter ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 397
Moinho do Céu

(54-55)
-, ARRUDA DOS VINHOS, LISBOA

Há muito, muito tempo, conta quem lá mora que, num dia de calmaria, andava um moleiro na sua labuta, caminhando serra acima descontraidamente, quando algo de muito estranho aconteceu: ao ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 389
Nossa Senhora da Ajuda (1)

(32-35)
Arranhó, ARRUDA DOS VINHOS, LISBOA

Diz o povo com devoção que certo dia andava uma pastorinha inocente e sincera a guardar algumas ovelhas num lugar hoje chamado Nossa Senhora da Ajuda, quando lhe apareceu ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 398
Nossa Senhora do Monte (1)

(57-58)
Arruda Dos Vinhos, ARRUDA DOS VINHOS, LISBOA

Contam os anciãos, com a sua sabedoria, que há muito tempo, tanto que a memória deixou no esquecimento a data precisa, existiu, em Arruda dos Vinhos, um gigante ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 399
Nossa Senhora do Monte (2)

(59)
-, ARRUDA DOS VINHOS, LISBOA

Andava um pastor muito simples e puro a guardar os rebanhos do patrão nuns campos perto da Fresca, quando, do meio de umas pedras, a Senhora lhe apareceu, pedindo-lhe ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 406
O Caso da Cobra

(68-69)
Arruda Dos Vinhos, ARRUDA DOS VINHOS, LISBOA

Diz-se que certa vez uma rapariga adoecera. A sua doença era tão estranha que nenhum médico conseguiu descobrir qual o mal que a havia atingido e qual ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 407
O Caso do Sapo com a Boca Cosida

(69-70)
Arruda Dos Vinhos, ARRUDA DOS VINHOS, LISBOA

Certo dia em casa de uns lavradores bem conhecidos em Arruda dos Vinhos aconteceu algo que ninguém conseguia explicar: a filha do casal adoeceu.
 Os lavradores tudo fizeram para ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 418
O Forno da Virgem das Antas

(87-88)
Arruda Dos Vinhos, ARRUDA DOS VINHOS, LISBOA

Conta o povo que, no princípio do século VIII, escondeu dos sarracenos a imagem de Nossa Senhora no lugar das Antas, onde havia três fornos construídos ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 391
O Lobisomem (1)

(40-41)
Arruda Dos Vinhos, ARRUDA DOS VINHOS, LISBOA

Diz-se que em tempos muito antigos existiu um homem em Arruda que, por ser lobisomem, percorria sete vilas castelhanas. As pessoas conheciam-no porque tinha calos nas mãos num s ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 392
O Lobisomem (2)

(42)
-, ARRUDA DOS VINHOS, LISBOA

Conta o povo que existiam nesta terra lobisomens que durante a noite saíam de casa e se transformavam em animais: burros, perus...
 Uma noite, a esposa de um deles ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 393
O Lobisomem (3)

(43-44)
-, ARRUDA DOS VINHOS, LISBOA

Há já alguns anos vivia em Arruda dos Vinhos um homem que era lobisomem: todas as noites de lua cheia transformava-se em burro e percorria sete vilas castelhanas.
 Um dia ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 411
O Sino

(75)
Arruda Dos Vinhos, ARRUDA DOS VINHOS, LISBOA

Consta que o sino maior da torre da igreja de Arruda dos Vinhos foi um dia roubado por uns malfeitores que viviam escondidos perto do lugar das Antas. Como faltavam ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 409
O Sítio do Castelo

(72)
Arruda Dos Vinhos, ARRUDA DOS VINHOS, LISBOA

Conta-se que há muito, muito tempo atrás no Sítio do Castelo existiam bruxas.
 As pessoas que por lá passavam de noite viam estas bruxas, todas com velas acesas ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]
Results 1 thru 25
Page 1 of 2       1 | 2 >