Lendas de Portugal

MARQUES, Gentil,, Lisboa, Círculo de Leitores, 1997 [1962]

Collected records

Results 51 thru 75
Page 3 of 9       < 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 >

APL 2838
Lenda da Maldição de Obeidalá

(Volume III, pp. 247-252)
-, SANTO TIRSO, PORTO

Estava o ano mil no começo. As chuvas haviam cessado. Andava no ar um aroma a terra molhada e seiva renovadora. Brotavam do campo as primeiras flores. A Primavera ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 3007
Lenda da Mata da Rainha

(Volume V, pp. 81-85)
Pedrógão De São Pedro, PENAMACOR, CASTELO BRANCO

A oeste de Pedrógão existiu em tempos que já lá vão um rei que tinha uma filha de rara beleza. E tão encantadora era a jovem ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2797
Lenda da Melhor Vitória

(Volume II, pp. 337-343)
Montemor-O-Velho, MONTEMOR-O-VELHO, COIMBRA

É a lei eterna da vida: as invasões sucedem-se a outras invasões. A terra é sempre o pomo da discórdia. A ambição, o veículo inflamável que ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2848
Lenda da Mina de Ouro

(Volume III, pp. 329-336)
Vale De Figueira, SANTARÉM, SANTARÉM

Entre os terrenos que cercam a cidade de Santarém, existe um lugar um pouco mais para os lados do Alviela que, pela sua evolução natural, muitos admiram. Chama-se ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 3032
Lenda da Monstruosa Mentira

(Volume V, pp. 251-256)
Pendilhe, VILA NOVA DE PAIVA, VISEU

Consta que foi em Pendilhe que nasceu esta lenda. Não se sabe em que data se situa, mas dizem que o caso se passou há muitos anos com um ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2855
Lenda da Moura da Ponte de Chaves

(Volume III, pp. 383-387)
-, CHAVES, VILA REAL

Estava a noite calma. Havia luar. Boa disposição. Esplêndida companhia. Apetecia esquecer as agruras da vida e mirar a paisagem discreta e serena vista do lado da ponte ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2817
Lenda da Moura de Albufeira

(Volume III, pp. 55-60)
Albufeira, ALBUFEIRA, FARO

A sala parecia curta à impaciência de D. João. Mão direita na cruz da espada, cabeça curvada num ar de reflexão, deslocando os passos para c ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2841
Lenda da Moura de Alfátema

(Volume III, pp. 271-276)
-, MANTEIGAS, GUARDA

Quanto da noite estendera-se sobre a serra. Suavemente. Lentamente. Agora havia apenas uma moldura de céu. Mas o jovem Ataúlfo não se importava. Combinara encontrar-se com a ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2820
Lenda da Moura do Pontão

(Volume III, pp. 81-86)
Ladoeiro, IDANHA-A-NOVA, CASTELO BRANCO

Ali, na povoação de Ladoeiro, o desenho da linha do horizonte não tem os caprichos de muitas das povoações da Beira. O sol ilumina sem cortinas nem ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2830
Lenda da Moura e do Touro

(Volume III, pp. 167-172)
Messejana, ALJUSTREL, BEJA

Noite de luar de Agosto. Ali, na antiga vila de Messejana, conquistada aos Mouros por D. Sancho II, perdurava ainda o perfume do mistério das mouras que por l ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2846
Lenda da Moura Enamorada

(Volume III, pp. 313-317)
Castelo, LISBOA, LISBOA

Eis uma lenda estranha que se contava à lareira, quase como um conto de fadas. Aqui, a heroína é moura, não encantada pela magia dos seus maiores, mas pela fascina ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2854
Lenda da Moura Floripes

(Volume III, pp. 377-381)
Olhão, OLHÃO, FARO

Verão pleno. Calor intenso. Ali, no Algarve, o mês de Agosto é muito quente e tem noites cálidas de um luar luminoso como obra de magia. Tudo, natureza ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2850
Lenda da Moura que chora

(Volume III, pp. 351-354)
Quirás, VINHAIS, BRAGANÇA

Ela ia correndo. Correndo e saltando. Alegre. Despreocupada. Era a pastorinha mais graciosa das redondezas. Em toda a região do Rabaçal chamavam-lhe Rosinha. Sem mais, nem menos. N ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2893
Lenda da Noite de S. Silvestre

(Volume IV, pp. 318-320)
-, FUNCHAL, ILHA DA MADEIRA (MADEIRA)

Conta-se que há muitos, muitos anos — tantos que a nossa memória já não os consegue somar na ardósia da vida e do tempo — existia em certo local ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2889
Lenda da Nossa Senhora do Cabo Espichel

(Volume IV, pp. 283-287)
-, SETÚBAL, SETÚBAL

Ano de 1215. Em Portugal reinava el-rei D. Afonso II. O Inverno tinha entrado duro. O vento zunia, impertinente e bravo. A chuva era grossa e caía sem pressa ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 3018
Lenda da Paixão de Eurico e Teuberga

(Volume V, pp. 159-163)
-, BEJA, BEJA

Quando Muça desembarcou em Espanha, veio direito à Lusitânia, e várias cidades caíram sob o ferro da sua espada ou entregaram-se sem grande resistência. Entre essas ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 3035
Lenda da Pedra Mágica

(Volume V, pp. 277-280)
Requião, VILA NOVA DE FAMALICÃO, BRAGA

Em tempos muito recuados, antes mesmo da Nacionalidade, existia em Requião a casa de um velho fidalgo que tinha uma filha lindíssima chamada Bárbara. Perto dessa casa ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2704
Lenda da Pena Fiel

(Volume I, pp. 97-102)
Penafiel, PENAFIEL, PORTO

Lenda e História, fantasia e realidade, ilusão e certeza, muitas vezes se juntam nos horizontes da vida. Juntam-se e misturam-se de tal forma que, muitas vezes também ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 3045
Lenda da Pomba Branca

(Volume V, pp. 359-363)
-, LISBOA, LISBOA

Encostada na sua cadeira de espaldar dourada, a rainha de Castela, D. Maria, esposa de Afonso XI e filha de Afonso IV de Portugal, meditava profundamente. Tinham sido muitas as ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 3010
Lenda da Ponte do Beijo

(Volume V, pp. 101-105)
-, FUNCHAL, ILHA DA MADEIRA (MADEIRA)

No primeiro quartel do século XVI, logo que a costa da ilha da Madeira foi reconhecida por Gonçalves Zargo, encontrou este a Ponta do Sol. Quando foi povoado ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2788
Lenda da Porta da Traição

(Volume II, pp. 233-239)
-, ÓBIDOS, LEIRIA

Noite escura, sem luar a iluminar os campos. Cheiro a terra molhada da chuva que havia caído, impertinente, toda a tarde. Vento assobiando, como ave agoirenta a profetizar trag ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2772
Lenda da Porta de Arronches

(Volume II, pp. 59-64)
-, ARRONCHES, PORTALEGRE

Mês de Maio de 1287. Primavera florida. Céu luminoso. Aconchegando ao seio o braçado de flores que os simples correram a levar à rainha como testemunho da sua ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2713
Lenda da Porta que se Abra Antes

(Volume I, pp. 187-194)
-, ABRANTES, SANTARÉM

Tudo começou naquela madrugada triste e fria de 8 de Dezembro de 1148. A chuva caía implacável, batida pelo vento, sobre as terras que formavam o lugar ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2843
Lenda da Praga de Fogo

(Volume III, pp. 289-295)
Mourilhe, MONTALEGRE, VILA REAL

A lenda que vou contar nasceu em Mourilhe, pequena freguesia do concelho de Montalegre, junto ao rio Cávado. Aí, em tempos que já lá vão, vivia uma esp ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2694
Lenda da Princesa Fátima

(Volume I, pp. 15-20)
Fátima, OURÉM, SANTARÉM

Pois vem correndo de geração em geração que a Princesa Fátima, jovem e bela princesa moura, ainda mais bela do que jovem, vivia recolhida no seu alc ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]
Results 51 thru 75
Page 3 of 9       < 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 >