Lendas de Portugal

MARQUES, Gentil,, Lisboa, Círculo de Leitores, 1997 [1962]

Collected records

Results 151 thru 175
Page 7 of 9       < 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 >

APL 2718
Lenda do Bálsamo na Mão

(Volume I, pp. 233-237)
Chacim, MACEDO DE CAVALEIROS, BRAGANÇA

Não sei, leitor amigo, se alguma vez já passou por Chacim, pitoresca freguesia do concelho de Macedo de Cavaleiros, perto de Bragança...

É uma povoação muito antiga, muito ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Científico]

APL 2767
Lenda do Belo Suldório

(Volume II, pp. 9-14)
-, VISEU, VISEU

Madrugada fria. Madrugada triste. Madrugada com cheiro de tormenta. Inverno na natureza e nas almas. Vento cortante como o fio de uma espada. Mas Viriato — o pastor dos Hermínios ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2819
Lenda do Bolo Branco

(Volume III, pp. 71-76)
Silves, SILVES, FARO

Foi em Silves e há muitos anos que tudo isto aconteceu. Foi ali, perto do castelo ainda majestoso e sobranceiro, que se deram os factos que vamos relatar. Era noite ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2709
Lenda do Bom Jardim dos Coelhos

(Volume I, pp. 147-152)
Sendim, FELGUEIRAS, PORTO

Levemente. Docemente. Suavemente. Uma aragem fresca veio saudar os cabelos do jovem fidalgo Gonçalo Pires Coelho. Com passo lento, ele afastou-se do grupo formado pelos seus irmãos e ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2790
Lenda do Bom Sucesso

(Volume II, pp. 253-258)
Baraçal, CELORICO DA BEIRA, GUARDA

Embora alguns leitores possam pensar que se trata do Bom Sucesso, vizinho de Lisboa — dir-lhes-ei desde já que o cenário desta evocação lendária fica bem distante da ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2781
Lenda do Braço Direito Estendido

(Volume II, pp. 147-151)
, LISBOA, LISBOA

Mais uma vez, na senda das grandes aventuras heróicas de Portugal, a História e a Lenda dão-se as mãos, abraçam-se, confundem-se...
Isto aconteceu há quase ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2818
Lenda do Cântico do Mouro

(Volume III, pp. 65-68)
Alcobaça, ALCOBAÇA, LEIRIA

A crença popular é como oração: eleva-se no espaço, direita à Eternidade. E embora pareça dispersa pelos ventos dos anos em fuga, ela persiste na sua rota e ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2792
Lenda do Capitão de Deus

(Volume II, pp. 275-281)
-, FUNCHAL, ILHA DA MADEIRA (MADEIRA)

Esta é mais uma história lendária de D. Sebastião. Lenda que se confunde, por vezes, com a própria realidade, lenda que possui algo de intangível — esse ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2877
Lenda do Casamenteiro das Velhas

(Volume IV, pp. 173-179)
Amarante (São Gonçalo), AMARANTE, PORTO

S. Gonçalo de Amarante é popularmente conhecido como casamenteiro das velhas. De um protesto da juventude nortenha que se julga preterida por este santo, nasceu a seguinte quadra popular:

S ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2812
Lenda do Castelo de Alcoutim

(Volume III, pp. 37-40)
Alcoutim, ALCOUTIM, FARO

Foi por alturas do ano de 1240. Parte do Sul do Alentejo e algumas terras do Algarve haviam já caído em poder de D. Sancho II. E Alcoutim, vendo-se ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 3044
Lenda do Castelo de Arminho

(Volume V, pp. 347-354)
Seda, ALTER DO CHÃO, PORTALEGRE

Foi ao fim da tarde. Corria o ano de 1160 e era rei de Portugal D. Afonso Henriques. A conquista de Alcácer tinha-lhe valido grande repercussão nos reinos ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2782
Lenda do Castelo de Marvão

(Volume II, pp. 159-166)
-, MARVÃO, PORTALEGRE

Caía a tarde de mansinho. O sol punha rabiscos de fogo no firmamento azul-cinzento. No vale, onde algumas casas pequenas pareciam de brinquedo, vistas do alto do monte, uma ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2869
Lenda do Cativo de Belmonte

(Volume IV, pp. 111-114)
Belmonte, BELMONTE, CASTELO BRANCO

Não é a lenda da vila de Belmonte que vou contar, embora esta povoação muito antiga tenha merecido o especial carinho da tradição. A lenda que vai seguir-se ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2796
Lenda do Cavaleiro Negro

(Volume II, pp. 325-332)
-, LISBOA, LISBOA

Na sala onde D. Sebastião costumava trabalhar, deu entrada D. Pedro de Alcáçova. Inclinou-se perante o jovem rei português e, depois de o saudar, declarou com defer ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2821
Lenda do Cristão Cativo

(Volume III, pp. 89-93)
-, PENAMACOR, CASTELO BRANCO

Corria o ano de mil duzentos e sessenta e sete. Reinava em Portugal D. Afonso III. Eram frequentes os recontros entre cristãos e mouros. E assim, de todas as ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2879
Lenda do Cristo de Monte Iraz

(Volume IV, pp. 193-199)
Santa Iria Da Ribeira De Santarém, SANTARÉM, SANTARÉM

Na igreja de Santa Iria, da Ribeira de Santarém, existe uma antiga escultura de Jesus Crucificado. Essa imagem, de expressão dolorosa e numa estranha posição, está ligada ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2842
Lenda do Falso Juramento

(Volume III, pp. 281-286)
Faro (Sé), FARO, FARO

O Algarve é um alfobre de lendas de mouras e mouros encantados. E dá gosto ouvir os algarvios contarem essas lendas, com muito carinho e muita discrição — não v ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2868
Lenda do Folar da Páscoa

(Volume IV, pp. 103-108)

Esta é uma das várias lendas que a tradição guarda ciosamente sobre o folar da Páscoa. É simples como a alma do povo, pois do povo ela vem. Diz-se ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2697
Lenda do Freixo de Espada à Cinta

(Volume I, pp. 33-37)
Freixo De Espada À Cinta, FREIXO DE ESPADA À CINTA, BRAGANÇA

Aqui está mais um exemplo típico de que as lendas não têm origem certa, nem no espaço, nem no tempo. Esta foi-me contada por várias ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2699
Lenda do Galo que cantou a tempo

(Volume I, pp. 55-60)
Galveias, PONTE DE SOR, PORTALEGRE

Em certas regiões do nosso País, existia o costume antigo de preparar um galo especialmente para cantar na chamada Missa da Meia-Noite do dia de Natal...
Esse galo ...

[Unsure / Uncommitted] [Transcrição Oral]

APL 3026
Lenda do Grande Amor de Atacés

(Volume V, pp. 213-217)
Manhouce, SÃO PEDRO DO SUL, VISEU

Esta lenda nasceu numa povoação muito antiga chamada Manhouce. Foi esta região habitada pelos Romanos. Porém, quando da invasão dos bárbaros, as províncias foram ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2786
Lenda do Guerreiro e da Virgem

(Volume II, pp. 207-214)
Aldeia De Paio Pires, SEIXAL, SETÚBAL

Há velhas histórias que mergulham na penumbra dos séculos e que só por vezes conseguem aflorar à superfície da memória. Mercê de muita pesquisa. Mercê de muita ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 3005
Lenda do Homem Calvo

(Volume V, pp.65-71)
Bordeira, ALJEZUR, FARO

O Algarve, tão recheado de lendas de aspecto fantástico, dá-nos esta que foi localizada na Bordeira, perto de Lagos, e que o povo ainda recorda, embora de ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2873
Lenda do Homem de Quadrazais

(Volume IV, pp. 143-149)
Quadrazais, SABUGAL, GUARDA

Não é das mais antigas, a lenda que vou contar. No entanto, poderei dizer que foi há muitos anos que tudo isto se passou...

Primavera alegre, clara. Primavera ridente. Os ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]

APL 2771
Lenda do Homem sem Medo

(Volume II, pp. 45-51)

Mais do que simples amigos e companheiros, consideravam-se dois irmãos. Dois verdadeiros irmãos. Dois grandes irmãos!
Aliás, entre os fidalgos que rodeavam o Mestre de Avis ...

[Unsure / Uncommitted] [Registo escrito Lúdico]
Results 151 thru 175
Page 7 of 9       < 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 >