Literatura Portuguesa de Tradição Oral

AA. VV., -,, s/l, Projecto Vercial - Univ. Trás -os-Montes e Alto Douro, 2003

Collected records

Results 51 thru 75
Page 3 of 5       < 1 | 2 | 3 | 4 | 5 >

APL 1026
A pedra da mina

(ME15)
-, MAIA, PORTO

Na freguesia de Godim, do concelho da Maia, havia uma mina de água que estava tapada com uma grande pedra. O terreno foi vendido e os novos proprietários queriam ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 956
A procissão de velas

(AP19)
Ponte De Lima, PONTE DE LIMA, VIANA DO CASTELO

Nas aldeias, a criação de gado era um dos trabalhos que ocupava as pessoas. Ao fim da tarde, ordenhavam-se as vacas e o leite era levado para o posto ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 995
As bruxas

(B8)
Guiães, VILA REAL, VILA REAL

Quando se queria saber quem eram as bruxas da aldeia, deitava-se um vintém na pia da água benta da igreja e, sempre que uma bruxa lá entrasse, ficava l ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 997
As bruxas da Ribeira do Medo

(B10)
-, CHAVES, VILA REAL

Era uma vez um rapaz que, na escuridão da noite, ao atravessar uma ribeira, conhecida na aldeia como a Ribeira do Medo, escutou um barulho. Ficou muito assustado. Mas ...

[Some Belief] [Oral transcription]

APL 998
As bruxas lavadeiras

(B11)
-, PENAFIEL, PORTO

Nos tempos mais remotos, dizia-se que as bruxas lavavam a roupa de noite nos ribeiros.
 Uma noite, um homem que tinha um moinho, ficou de levar uns sacos de farinha ...

[Convinced Belief] [Oral transcription]

APL 1014
A vaca encantada

(ME2)
Semelhe, BRAGA, BRAGA

Numa aldeia, um lavrador tinha uma vaca que começou a manifestar um comportamento muito estranho. Todas as noites dava pinotes dentro do estábulo, muava enfurecida e ninguém ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 960
A velhinha do sonho

(TE3)
Loureiro, PESO DA RÉGUA, VILA REAL

Conta-se que em Loureiro, Peso da Régua, há muitos anos atrás algo de estranho se passou. Uma menina deitou-se certa noite como era seu costume. Durante o sono ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1004
A Vianesa

(HD4)
Joane, VILA NOVA DE FAMALICÃO, BRAGA
Types: 813,

Antigamente, os rapazes e as raparigas que iam para as espadeladas do linho juntavam-se em grupos, tocavam viola e concertina e cantavam ao desafio. Um dia iam dois homens a ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 996
Bruxaria

(B9)
Balazar, PÓVOA DE VARZIM, PORTO

Certo dia, a D. Maria adoeceu sem se saber qual o motivo da doença e qual a sua origem. Nem o médico da altura sabia o que se ...

[Convinced Belief] [Oral transcription]

APL 969
Correr o fado

(CF1)
Eiriz, PAÇOS DE FERREIRA, PORTO


Em tempos antigos, um rapaz que trabalhava como criado para um lavrador chegava a certa hora do dia e ficava muito cansado e triste. Foi então que o patr ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1023
Dona Mirra

(ME11)
Galafura, PESO DA RÉGUA, VILA REAL

Há muito tempo atrás, em São Leonardo de Galafura, vivia uma moura chamada Dona Mirra que se apaixonou por um homem cristão. Não podia casar com ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1049
História do rio Mondego

(L20)
-, GUIMARÃES, BRAGA

Era uma vez uma princesa que se chamava Esmeralda e um príncipe cavaleiro que se chamava Diego. Ambos estavam apaixonados e viviam um amor sereno até ao dia em ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 978
Homem de dia, animal à noite

(CF10)
Figueiró (Santiago), AMARANTE, PORTO

As pessoas antigas dizem que todas as crianças que nasçam à terça-feira, a primeira peça interior que se lhe vista deve ser queimada, para que um dia ...

[Unsure / Uncommitted] [Memory transcription]

APL 1018
Lenda da fonte do Forte de São Neutel

(ME5)
-, CHAVES, VILA REAL

Há muito, muito tempo viveu por estas terras uma jovem encantadora, estimada pelo povo devido à sua bondade e a sua humildade. Adorava passear pelo campo e misturar-se com as gentes ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1030
Lenda da Penedice

(ME19)
-, GUIMARÃES, BRAGA

Numa pequena aldeia minhota, reza a história que uma moura encantada era a guardiã de um grande tesouro que os seus antepassados enterraram num aglomerado rochoso, existente no cimo ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1017
Lenda do Fragão da Pitorca

(ME4)
Santo António De Monforte, CHAVES, VILA REAL

Contavam os antigos que existia uma moura encantada no Fragão da Pitorca, situado na aldeia de Santo António de Monforte. Diziam que se costumava ouvir a moura a ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1003
Malefício na encruzilhada

(HD3)
Peso Da Régua, PESO DA RÉGUA, VILA REAL

Aí pelo dia 23 de Dezembro, devia ser meia-noite, eu ia daqui do Salgueiral, para Jogueiros. Para encurtar o caminho, meti por um atalho. Chego acolá acima, numa encruzilhada a ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 992
O almocreve e as bruxas

(B4)
Cambres, LAMEGO, VISEU

Era uma vez um almocreve que dava pancada na mulher. Quando chegava a casa do trabalho, aguentava quantas ele lhe desse.
 Certa noite, o almocreve passou numa ponte e ouviu ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 951
O avarento

(AP14)
Semelhe, BRAGA, BRAGA

Havia um homem duma aldeia de Melgaço que, ainda novo, saltou para França e por lá andou a labutar como mineiro. Sendo o trabalho duro e pouco saud ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 962
O berro da cabra

(TE5)
Santo António De Monforte, CHAVES, VILA REAL

Na minha aldeia existe um monte chamado Alto da Costa e conta-se que ali existia uma fonte que nunca secava, pois havia lá um tesouro enterrado pelos Mouros.
Segundo a ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1012
O Bicho Cidrão

(HD18)
-, BRAGA, BRAGA


Na ilha da Madeira, dois pontos rivalizam entre si: o Pico Ruivo e o Pico Cidrão.
Este último é uma serra quase inacessível ao homem, de pedra negra e ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1002
O cabrito cheio de frio

(HD2)
Peso Da Régua, PESO DA RÉGUA, VILA REAL

Uma mulher vinha do trabalho, encontrou um cabrito cheio de frio e perguntou-lhe:
− Tens frio? Anda cá que eu levo-te no meu avental.
Levou-o para casa e fez uma fogueira ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1053
O cavaleiro de Valença

(L24)
São Julião, VALENÇA, VIANA DO CASTELO

Há muitos séculos atrás, vivia em Valença um rei que andava sempre engalfinhado com os vizinhos Galegos.
Certo dia, o rei fez reunir os seus melhores cavaleiros ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1008
O contrabandista e os trasgos

(HD12)
-, CHAVES, VILA REAL

Um contrabandista de uma aldeia fronteiriça costumava queixar-se dos trasgos.
Andava constantemente atormentado por eles e, sempre que alguma coisa de mal que lhe acontecia, atribuía-lhes a culpa ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]

APL 1036
O dedo do ladrão

(L5)
Oliveira De Azeméis, OLIVEIRA DE AZEMÉIS, AVEIRO

Conta-se que na madrugada do dia 11 de Agosto de 1908, na Capela do Parque da Nossa Senhora de La Salete, em Oliveira de Azeméis, o guarda da capela ...

[Unsure / Uncommitted] [Oral transcription]
Results 51 thru 75
Page 3 of 5       < 1 | 2 | 3 | 4 | 5 >