Bicha das Sete Cabeças (outra versão)

APL 174

Conta-se que num lugar da Freguesia de Moreira de Rei, hoje conhecido por lugar do «Vale da Bicha», aparecia uma enorme cobra com seis filhas pronta a devorar um jovem que cada família, em chegando sua vez, ia entregando. Se tal não acontecesse, a bicha invadia toda a freguesia, destruindo-a. Ora, chegou a vez da filha do Rei. Ele, muito preocupado, prometeu a mão da sua filha e as suas terras àquele que a matasse.
 Como não aparecesse ninguém, mandou um seu criado levá-la numa carroça ao local onde iria ser devorada.
 Durante o caminho, a jovem gritava, apavorada. Um jovem cavaleiro que passava, ao ouvir tais gritos, aproximou-se a fim de se inteirar do motivo de tal aflição.
 O criado do Rei contou-lhe o que se estava a passar. O cavaleiro, comovido, resolveu arriscar a luta com a dita bicha. Chegados ao local, o cavaleiro munido de uma espada e de um braço de ferro atacou o animal. Nesse momento apareceram as suas seis filhas, prontas a atacá-lo e a ajudar a mãe.
 O cavaleiro, vendo-se perdido, pediu ajuda a Sta. Maria de Ribeiros. Nesse momento, apareceu uma estrela no cimo dum penedo que o iluminou, lhe deu coragem para liquidar todas elas e lhes tirar as línguas.
 O criado levou a jovem de volta a casa, preparando-se para casar com ela, pois não tinha dito ao cavaleiro da recompensa prometida pelo Rei. No dia do casamento, o mesmo cavaleiro apareceu com as sete línguas que mostrou ao Rei, contando o que se tinha passado.
 O criado foi castigado e o cavaleiro casou com a jovem.
 Mais tarde veio a falecer e encontra-se sepultado no adro da igreja de Ribeiros.

Source COIMBRA, Artur Ferreira Fafe, a Terra e a Memória Fafe, Câmara Municipal de Fafe, 1997 , p.326-328

Place of collection Moreira Do Rei, FAFE, BRAGA

Narrative

When XX Century, 90s

BeliefUnsure / Uncommitted

Classifications