O Medo de Mora

APL 1547

Há muitos anos apareceu um medo em Mora, aqui na ladeira do urinol.
Então esse medo, uns dias por semana aparecia dentro de um saco a fazer de porco.
Então lá ia pela ladeira, oinc, oinc, oinc.
E aqui no largo onde estão agora as casas todas, existia ali um forno de tijolo, celendreiras e tinha muitas ervas altas (aquilo estava ali um grande mofedo).
Então, havia um homem muito aventureiro e disse:
-A gente tem que ir descobrir o medo que passa ali na ladeira, pois a partir das tantas horas ninguém consegue ali passar. Então juntaram-se umas poucas de pessoas, e puseram-se atrás do tal dito forno de tijolo, metidos entre aquele arvoredo. E às tantas viram: 0inc,oinc,oinc.
Foram ver e era uma pessoa que vinha dentro de um saco, arrastando-se, arrastando-se, até ali.
Chegou ali ao pé do forno de tijolo, puxou por umas andarilhas muito grandes que estavam escondidas atrás do arvoredo, pôs os pés em cima das andarilhas e saltou para dentro da janela. Bem, eles puseram-se à espreita, quando é que o homem descia lá da janela mas entretanto tiraram-lhe as andarilhas. Às tantas o homem lá apareceu, mas quando ia para descer, as andarilhas já lá não estavam e disse ele:
-Ai, estou perdido com a minha vida, então roubaram-me as andarilhas como é que eu daqui desço?
Bem, os outros lá lhe deram as andarilhas, mas o que é certo é que o homem apanhou um susto tão grande que jurou que nunca mais voltava a fazer de medo.
E então ele disse:
Que fazia de medo, que era para ir ter com a namorada que vivia no primeiro andar e ela abria-lhe a janela do quarto.

Source DUARTE, Joaninha A Luz da Cal ao Canto do Lume Lisbon, Colibri, 2009 , p.180

Place of collection Mora, MORA, ÉVORA

CollectorRicardina Pires (F)

InformantMaria Joaquina Barnabé (F), 77 y.o., Mora (MORA) ÉVORA,

Narrative

When XXI Century,

BeliefUnsure / Uncommitted

Classifications