Cova da Moura

APL 1624

Fica entre o rio (Minho) e o baluarte de Novelhe (monte de Castro). Comunica, segundo a tradição, por um caminho subterrâneo com a Torre da Atalaia. Aí aparecia uma moura, ora sob a forma de cobra que falava, ora sob outras formas. Uma vez passava uma rapariga, e ela pediu-lhe para lhe dar um pouco de leite. A rapariga trouxe-lho e a moura deu-lhe o quer que fosse embrulhado, recomendando que só abrisse o embrulho dentro de certo prazo. A rapariga não resistiu à curiosidade, mas só encontrou carvão, que deitou fora despeitada, a mãe, a quem ela contou tudo, ralhou-lhe. Era ouro.

Source SARMENTO, Francisco Martins Antígua, Tradições e Contos Populares Guimaraes, Sociedade Martins Sarmento, 1998 , p.115

Place of collection-, VILA NOVA DE CERVEIRA, VIANA DO CASTELO

Narrative

When XX Century,

BeliefUnsure / Uncommitted

Classifications