Lenda da fonte anexa à capela da Lavandeira

APL 1691

Junto à capela da Labendeira existe uma fonte que brota d’uma gruta, que a mão do homem talhou e que, durante séculos, era bisitada por quem o queria.
 Outras mãos d’homens, fecharam essa entrada e hoje só resta uma pequena fenda, por onde a água brota.
 Esta fonte tem uma história linda para contar, não sei se verdade verdadeira, se de pura lenda, que a mente fértil a tornou conhecida.
 A lenda é esta: todos os meses, em noite de lua cheia e sem nubens, saem da gruta vultos de bailarinas, bestidas de branco, e oube-se uma música de sonho, que os vultos dançam em bailado de sonho e de fantasia. Só bê este bailado, quem lebar um copo, o encher de água e esta a beber.
 Eu não sei se, em sonhos, já bi este bailado. O meu amigo Alberto Carranca, hoje infelizmente falecido, também lá foi comigo e afirmaba conbictamente que oubira a música mais linda da sua vida e o boltejar diáfano das bailarinas, que dizem terem sido mouras encantadas.
 O bailado dura apenas cinco minutos. São, porém, cinco minutos de sonho boluptuoso e sensual.

Source AA. VV., - Literatura da tradição oral do concelho de Vila Real s/l, UTAD / Centro de Estudos de Letras (Projecto: Estudos de Produção Literária Transmontano-duriense),

Place of collection Lordelo, VILA REAL, VILA REAL

InformantMário Augusto Carvalho (M), Lordelo (VILA REAL) VILA REAL,

Narrative

When XX Century, 90s

BeliefUnsure / Uncommitted

Classifications