A mina do rio Sordo

APL 1704

Na mina do Sordo, tinha lá uma fortuna muito grande e depois diz que uma bez um senhor foi lá buscar o dinheiro e habia de dizer chempre:
 - Diabo, diabo, diabo, diabo, diabo…
 E ele foi e assim fez.
 - Diabo, diabo, diabo, diabo… – e trazia o tesouro p’ra fora.
 Chegou à entrada da mina, diche:
 - Ai Jesus! Estou rico p’ra minha bida!
 Lebou uma bofetada e ficou sem nada!

Source AA. VV., - Literatura da tradição oral do concelho de Vila Real s/l, UTAD / Centro de Estudos de Letras (Projecto: Estudos de Produção Literária Transmontano-duriense),

Place of collection Torgueda, VILA REAL, VILA REAL

InformantVirgilina Queiróz (F), 79 y.o., Torgueda (VILA REAL) VILA REAL,

Narrative

When XX Century, 90s

BeliefUnsure / Uncommitted

Classifications