[O Milagre de Santo António]

APL 1748

Era uma vez um miúdo muito traquina, com muitas ambições, mas de filho de uma família muito pobre. Como os pais não tivessem possibilidades de lhe dar tudo aquilo que ele desejava, numa tarde de Inverno, pensou em fugir de casa, e bem o pensou, bem o fez. Ao chegarem ao trabalho, os pais do miúdo perguntaram a roda a família da sua aldeia se tinham visto o seu filho, mas ninguém sabia o paradeiro da criança.
Então os pais do miúdo, muito tristes e chorosos, lamentando a sua pouca sorte, pensaram:
- Vamos encomendá-lo a Santo António – que era o santo da sua devoção – que nos traga o nosso filho de volta.
E assim o fizeram. No outro dia, mal rompia o sol, o miúdo estava a bater à porta dos pais. Estes, de lágrimas nos olhos, perguntaram-lhe:
- Então filho, onde passaste a noite?
- Passei a noite dentro do buraco de uma rocha [respondeu].
- Então não tiveste medo?
- Não, porque esteve toda a noite um velhote com um cajadinho na mão ao pé de mim.
 Era o Santo António.

Source AA. VV., - Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas) Faro, n/a,

Year1991

Place of collection Cachopo, TAVIRA, FARO

InformantManuel da Palma Gaspar (M),

Narrative

When XX Century, 90s

BeliefUnsure / Uncommitted

Classifications