Lenda da Moura Encantada

APL 1815

Quando foi a tomada de Faro aos Mouros, pelo rei D. Afonso III, uma filha d’um rei Mouro, que havia aí, que era quem dominava a cidade, tinha-se apaixonado por um cavaleiro cristão e facilitou a entrada dos cristãos na cidade. E então, ela quando viu que as tropas cristãs tinham já tomado tudo e que tinham ficado vencidos, ela ia a sair pela porta com o cavaleiro cristão, ia-se embora. E o pai quando viu que ela tinha-os atraiçoado amaldiçoou-a e condenou-a a ficar encantada toda a vida, ali nas muralhas, até haver um cavaleiro que a desencantasse. Ela ainda hoje está lá. Se procurarem bem lá no caminho de roda, nos adaivos que há em roda da muralha, procurem bem que ela está lá ainda. É preciso é saber as palavras que são precisas dizer para a desencantar. Só que não há nenhum homem que queira desencantá-la.

Source AA. VV., - Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas) Faro, n/a,

Year1998

Place of collection Faro (Sé), FARO, FARO

CollectorFátima Sousa (F)

InformantGraciete (F), 78 y.o., - (FARO) FARO,

Narrative

When XX Century,

BeliefUnsure / Uncommitted

Classifications