[O Diabo em Forma de Rapaz]

APL 1836

Havia uma casa assombrada, aonde vivia um casal de ricos e tinham caseiros. A casa todos os dias aparecia desarrumada, tudo fora de sítio, tudo desarrumado. E então, a senhora ia perguntar à empregada, à esposa do caseiro se tinha sido ela que tinha lá ido a casa. E ela dizia que não, mas a casa todos os dias estava desarrumada. Até que um dia, o casal pensou mudar de casa sem dizerem, nem aos caseiros, nem a ninguém. Andavam a mudar, tiveram aquele trabalho todo, mudaram tudo, só lhe faltava mudarem os utensílios de cozinha. Iam cada um ia levar sua cadeira e vêem um mocho a andar e o senhor ficou admirado e virou-se para o mocho e perguntou:
 - Tu aonde vais? e então o mocho parou. Debaixo deste saiu um rapazinho, sentou-se no mocho e diz:
 - Nós não vamos mudar de casa?
 E ele disse:
 - Olha pois íamos. E tu quem és?
 - Eu sou o diabo.
 Íamos a mudar por tua causa, uma vez que tu também mudas, então ficamos na mesma. Lá tiveram o trabalho de tomar a mudar pra casa que estava assombrada. Pronto.

Source AA. VV., - Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas) Faro, n/a,

Year2003

Place of collection Vale Da Porca, MACEDO DE CAVALEIROS, BRAGANÇA

CollectorAna Isabel Fernandes (F)

InformantCristina de Lurdes Lopes Correia (F), 56 y.o., Vale Da Porca (MACEDO DE CAVALEIROS) BRAGANÇA,

Narrative

When XX Century,

BeliefUnsure / Uncommitted

Classifications