A história de Job

APL 1864

Então, Job é muito rico, tinha muitos bens, tinha esposa, tinha filhos, tinha criados e tinha muito gado, era muito rico mesmo. E depois o demónio tinha inveja daquilo tudo [e] pediu a Jesus que queria Job para ele. E Jesus disse para ele:
 - Não, Job não te dou, dou-te os bens dele, vai-lhos tirando conforme tu entenderes. Então, o demónio que [era] mauzinho, claro, logo se diz que é Satanás, é mau, coisas diabólicas são sempre más. Mas Jesus prometeu-lhe tudo menos a alma de Job que a queria para ele. Então, o demónio, hoje tirava-lhe uma filha, matava-lhe a filha, matou-lhe a esposa, os filhos todos, vá lá. Matou-lhe os filhos todos, matou-lhos mesmo, matou-lhos mesmo, é demónio, eram mortos mesmo que ele apanhava-os de caminho eles morriam assim fulminantemente. Dizia a minha mãe que eles que apareciam mortos, iam para a terra e que já não apareciam em casa, mortos. E depois tinha gado, levou-lhe o gado todo, matou-lhe tudo, tudo, tudo. E por fim encheu-o de feridas, de chagas.
 Então os vizinhos diziam assim:
 - Ó Job...
 Porque naquele tempo diziam que quem fosse castigado que era por uns pecados que tinham: aquela pessoa é má, é castigada. É Deus que está a castigar. Não era Deus que Deus não castiga ninguém, é o demónio, é aí que foi o demónio que entrou.
 Entrou mas levou os bens não levou Job porque Job foi sempre sério, sempre seguro. E as pessoas diziam assim:
 - Ó Job, o que é que tu fizeste para Deus te castigar tanto?
 - Deus não castiga, Deus deu e Deus vai tirando.
 A ideia de Job era essa: Deus deu e Deus tirou.
 Pois Deus prometeu ao demónio para tirar tudo até à última menos a alma dele. Então aquilo desapareceu tudo até ao fim, até estar mesmo no extremo todo doente.
 E Job pediu a Nosso Senhor: “o que é que ele queria mais dele”.
 E Jesus respondeu-lhe:
 - Quero a tua alma mas vais novamente ter nova família.
 Deu-lhe nova esposa, nova família, deu-lhe nova fortuna mas não permitiu mais que o demónio se metesse na vida dele. E disse para Job:
 - Quero a tua alma nunca mais a percas, nunca mais te deixas.
 Porque ele também não se deixou levar, porque ele também se dizia assim: ‘Deus deu e Deus tirou’, foi sempre firme até ao fim. É por isso nós dizemos assim:
 - Eu queria ter um bocadinho de paciência como Job teve.

Source AA. VV., - Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas) Faro, n/a, , p.TSM, Cd 8, faixa 8

Year2005

Place of collection Oliveira De Azeméis, OLIVEIRA DE AZEMÉIS, AVEIRO

CollectorAntónio Fontinha (M)

InformantLeonor da Silva (F), 1937 y.o., born at Pinheiro Da Bemposta (OLIVEIRA DE AZEMÉIS) AVEIRO,

Narrative

When Century,

BeliefUnsure / Uncommitted

Classifications