Quem está, está! Quem vai, vai!

APL 1957

  Eram dois rapazes muito amigos que resolveram dar, juntos, um passeio pelo povo. Depois de algum tempo, viram uma mulher dirigir-se sozinha para fora da aldeia e seguiram-na.
   Como ela continuasse a andar, um deles fartou-se e voltou para trás. O outro prosseguiu sempre para a frente até ela parar.
 A certa altura entrou numa capela e ele também. Aí a mulherzinha apresentou-lhe um prato de ossos e insistiu com o rapaz para que comesse. Ele, confrangido e cheio de medo, resolveu ir-se embora, não sem ela lhe pedir para, no dia seguinte, à mesma hora, lá voltar.
     O rapaz, cada vez mais confuso e medroso, resolveu ir aconselhar-se com o sr. Prior que achou bem que fosse.
 Enquanto o nosso homem foi andando em direcção à capela, o Pároco dirigiu-se à igreja a rezar por ele.
 Chegado ao local combinado, a mulher observou-lhe:
 - O que te valeu foi o senhor Prior ficar a rezar por ti!
     Em seguida, mandou, o rapaz embora aconselhando-o que nunca se metesse com quem passava ou com quem está: Quem está, está! Quem vai, vai!

Source AA. VV., - Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas) Faro, n/a,

Place of collection Ferro, COVILHÃ, CASTELO BRANCO

CollectorMaria da Ascensão Rodrigues (F)

Narrative

When XX Century,

BeliefUnsure / Uncommitted

Classifications