Amendoeiras em flor

APL 1966

Há muitos e muitos séculos, antes de Portugal existir e quando o Al-gharb pertencia aos árabes, reinava em Chelb, a futura Silves, o famoso e jovem rei que nunca tinha conhecido uma derrota.
 Um dia entre os prisioneiros de uma batalha viu a linda Gilda uma princesa loira de olhos azuis. Impressionado, o rei mouro deu-lhe a liberdade, foi-lhe conquistando a confiança e um dia confessou-lhe o seu amor e pediu-lhe para ser sua mulher.
 Foram felizes por muito tempo mas um dia a bela princesa do Norte caiu doente sem razão aparente. Um velho cativo das terras do Norte pediu para ser recebido pelo desesperado rei e disse-lhe que a princesa sofria de nostalgia da neve do seu país distante. A solução estava ao alcance do rei mouro, pois bastaria mandar plantar por todo o seu reino muitas amendoeiras que quando florissem as suas brancas flores dariam à princesa a ilusão da neve e ela ficaria curada da sua saudade.
 Na primavera, o rei seguinte, o rei levou Gilda à janela do terraço do castelo e a princesa sentiu que as suas forças regressavam ao ver aquela visão das flores brancas. O rei mouro e a princesa viveram longos anos de um grande amor esperando ansiosos, a Primavera que trazia o maravilhoso espectáculo das amendoeiras em flor. 

Source AA. VV., - Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas) Faro, n/a,

Year2004

Place of collection Castro Verde, CASTRO VERDE, BEJA

CollectorVera Cabrita (F)

InformantIsilda Bárbara Palma (F), 81 y.o., Castro Verde (CASTRO VERDE) BEJA,

Narrative

When X Century,

BeliefUnsure / Uncommitted

Classifications