A Lenda do Cinto do Lobisomem

APL 2063

Eu ouvi dizer, que numa terra ali perto de Beja, havia um lobisomem que se transformava sempre numa encruzilhada, ou seja, era num cruzamento de 4 ruas ou travessas, algo assim. Tinha de ser era sempre aquele cruzamento das quatro estradas.
Até que numa noite, já a altas horas numa dessas encruzilhadas o lobisomem transformou-se num chibo; quando isto se passou, quando o lobisomem se transformou num chibo, houve um homem que passou ali, ali por perto, e encontrou o chibo, então quando o viu, logo disse que ia leva-lo para casa, e o que é que ele fez: tirou o cinto das calças e colocou nas pernas do chibo, para o puder carregar ás costas. Quando ia no caminho, o chibo, com que ia às costas cada vez lhe pesava mais, então ele não aguentou o peso e tirou-o das costas e deixou-o ali ficar. O chibo muito rapidamente lhe deu dois coices e fugiu.
No dia a seguir, o senhor estava no trabalho, de repente vê um rapaz passar, rapaz esse que tinha a fama de ser lobisomem e tal não é o espanto do homem quando olha vê o lobisomem, ou seja, vê o rapaz com o cinto à volta da cintura, ou seja o seu cinto que tinha sido para o amarrar.

Source AA. VV., - Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas) Faro, n/a,

Year2006

Place of collection-, BEJA, BEJA

InformantMara Alexandra Espinho (F), 20 y.o., Portimão (PORTIMÃO) FARO,

Narrative

When XX Century,

BeliefUnsure / Uncommitted

Classifications