“Luz da carniceira”

APL 2097

Era uma vez, era uma senhora que era muito ruim, pronto, era muito má, né? Não tinha bilhete no céu, não tinha entrada no céu porque era muito má. Era muito má e um dia morreu. Um dia morreu e que é que havia de aparecer?! Aparecia a luz dela. Corria os chaparros todos a luz, chamavam-lhe a luz da carniceira. Era verdade que era a luz da carniceira, porque era uma senhora que era má e nunca teve entrada no céu, que era a luz da carniceira e era senhora que aparecia. Eu era assim uma gaiata, tinha para aí os meus oito anos ia mondar ali para a ribeira do Sado e estava ali um sítio que era a Miranda, que é o monte da Miranda, e ela aparecia ali naqueles chaparros, que era a luz da carniceira.

Source AA. VV., - Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas) Faro, n/a,

Year2006

Place of collection Alvalade, SANTIAGO DO CACÉM, SETÚBAL

CollectorJoana Caetano (F)

InformantMaria António (F), 75 y.o., born at Alvalade (SANTIAGO DO CACÉM) SETÚBAL,

Narrative

When XX Century,

BeliefUnsure / Uncommitted

Classifications