A Bruxa e o Burro

APL 408

Diz o povo que em tempos longínquos, numa noite de lua cheia em Á-dos-Arcos, vivia um homem que costumava ir ao ferro velho no seu burro.
 Certo dia, à meia-noite, ia a passar pela Louriceira de Cima, quando viu uma mulher vestida de preto que lhe pediu boleia.
 O senhor, simpaticamente, saiu do burro e deu o seu lugar à cansada senhora. Quando olhou para a cara desta, reparou que era defeituosa. Nesse momento ela disse-lhe que era bruxa e que se ele contasse a alguém ela fazia-lhe um feitiço.
 Entretanto, quando chegaram ao cruzamento de Adoseiros, a bruxa saiu do burro e continuou o seu caminho a pé.
 O homem cheio de medo não contou nada a ninguém.

Source CUNHA, Jorge da Criações do Génio Popular Arruda dos Vinhos, Associação para a Recuperação do Património de Arruda, 1997 , p.71

Place of collection-, ARRUDA DOS VINHOS, LISBOA

Narrative

When XX Century, 90s

BeliefUnsure / Uncommitted

Classifications

MotifsTh [C420.] Tabu: uttering secrets.