A Cobra Encantada da Horta de Cima

APL 514

«Quando era ainda muito novo, ouvia falar nesta cobra encantada, havendo então pessoas que afirmavam terem-na visto numa manhã de S. João e que apresentava uma trança de cabelo como a de uma mulher. Seria uma das mouras encantadas que a crendice popular criava e que continuava a aguardar o momento de ser quebrado o seu encanto?
 Procurei indagar o que constava, mais circunstanciadamente, sobre esta cobra encantada e recordo-me de que muita gente se impressionava ao passar, depois de anoitecer, pelo sítio onde se dizia que ela costumava aparecer na manhã do dia de S. João, até ao meio dia.
 Em 1939 uma mulher humilde deu-me a informação de que a sua tia Domingas Roupa, nascida em Ficalho no ano de 1939, lhe tinha dito que, ao deixar-se dormir de noite, sonhava que via uma grande cobra que lhe pedia para a deixar lamber os santos olhos e que, depois, lhe indicaria onde estava escondida uma grande fortuna, na Horta de Cima, ao pé da nascente de água que lá existe. Este tesouro, segundo a descrição do sonho, encontrava-se dentro de um caixão cintado com ferro, contendo também duas jarras verdes. Para desencantar tudo isto era preciso ir lá à uma hora da noite, levando na sua companhia duas Marias virgens, mas nunca teve ânimo para se dirigir àquele local à hora atrás indicada.
 A minha informadora disse-me mais que a sonhadora chegou a andar um pouco transtornada do sentido e que só deixou de sonhar com a cobra encantada a poder de rezas e de promessas que se fizeram.» 

Source LOPES, António Ferreira Contos e Lendas Populares e de Transmissão Oral na Serra da Adiça, in: Arquivo de Beja, vol. XIV, serie III Beja, Câmara Municipal de Beja, 2000 , p.65

Place of collection Vila Verde De Ficalho, SERPA, BEJA

CollectorFrancisco Valente Machado (M)

InformantDomingas Roupa (F), born at Vila Verde De Ficalho (SERPA) BEJA,

Narrative

When XXI Century,

BeliefSome Belief

Classifications