Lenda da Casa da Moura

APL 741

Os mais antigos da Granja do Tedo contavam que, naquele grande rochedo oco, ao cimo do povo, que tem um compartimento dentro com o tamanho de um quarto de dormir, está uma moura encantada, e que por isso se chama “Casa da Moura”.
 Diz-se que, quando os mouros foram embora, ela ficou ali a guardar um tesouro todo em ouro, que lá estará ainda, e encantado, tal como ela também está.
 Quem o quisesse descobrir teria que desencantar a moura e, para isso, deveria ir lá à meia-noite em ponto. Nesse momento, o rochedo abria-se e o tesouro aparecia. Quem conseguisse apanhar o tesouro ficava rico e desencantava a moura.
 Mas conta-se também que, se não conseguisse ir a tempo de o apanhar, porque aquilo tem mesmo de ser à meia-noite certinha, a fraga fechava-se e a pessoa ficava lá também encantada. Nunca mais de lá sairia.
 Por isso, como ninguém se atreve a tanto, o tesouro lá continua.

Source PARAFITA, Alexandre Património Imaterial do Douro - Narrações Orais (contos, lendas, mitos) Vol. 1 Peso da Régua, Fundação Museu do Douro, 2007 , p.146

Place of collection Granja Do Tedo, TABUAÇO, VISEU

CollectorAlexandre Parafita (M)

InformantBenjamim Rodrigues Lopes (M), 74 y.o., Granja Do Tedo (TABUAÇO) VISEU,

Narrative

When XXI Century,

BeliefUnsure / Uncommitted

Classifications