A menina e o Santo António

APL 985

Era uma vez uma linda menina, filha de pais muito severos. Tinha umas tranças muito bonitas e toda a gente a conhecia pela Maria das Tranças Compridas.
Esta menina ia todos os dias à fonte buscar água para ela, para os seus pais e também para os seus dois irmãos, o José e o António. Tantas vezes tinha que ir à fonte que um dia encontrou Santo António. Tornaram-se amigos e a partir desse dia combinara encontrar-se sempre na fonte. Passaram-se vários meses e eles apaixonaram-se um pelo outro e começaram a namorar.
Um dia a menina decidiu contar aos pais, pois estava muito contente com o namoro. Só que essa alegria durou pouco. Os pais não aceitaram o namoro e proibiram-na de voltar a ver o Santo António. Mas a Maria não o fez. Os pais descobriram e, como eram muito severos, decidiram cortar-lhe as tranças.
A Maria só chorava, pois gostava muito das tranças e, quando encontrou Santo António, contou-lhe tudo e ele disse-lhe para não se preocupar e, se soubesse onde estavam as tranças, para as trazer. A Maria assim fez. Santo António soprou e as tranças ficaram de novo no cabelo da menina.
Quando os pais viram aquilo, nem queriam acreditar e a Maria disse-lhes que tinha sido o Santo António. Os pais então disseram-lhe que ela podia namorar com o Santo António e a menina foi a correr à fonte, mas ele já não estava lá. O que ela tinha à sua espera era uma flor.
Desde esse dia nunca mais o viu. Mas, sempre que ia à fonte, ela encontrava uma nova flor.

Source AA. VV., - Literatura Portuguesa de Tradição Oral s/l, Projecto Vercial - Univ. Trás -os-Montes e Alto Douro, 2003 , p.CR1

Year2002

Place of collection Valença, VALENÇA, VIANA DO CASTELO

CollectorAna Isabel Gonçalves Faria (F)

InformantMaria da Conceição (F), 64 y.o., Valença (VALENÇA) VIANA DO CASTELO,

Narrative

When XX Century, 90s

BeliefUnsure / Uncommitted

Classifications