A Maria Gancha

APL 1010

Os mais velhos, para evitar que as crianças se aproximassem dos poços, que são um autêntico perigo, costumavam dizer aos filhos:
– Não vás para a beira do poço, pois vive lá a Maria Gancha e ela pode agarrar-te e levar-te para o fundo.
As crianças ficavam com medo e não se aproximam.
E para que não houvesse dúvidas da verdade, contavam a seguinte história:
Um dia um rapazinho, que parece que tinha o diabo no corpo, não se mostrou amedrontado com o que a mãe lhe disse acerca da Maria Gancha e arriscou aproximar-se da boca de um poço. Espreitou para dentro e viu que era muito fundo e escuro. Pegou num calhau e lançou-o dentro. O dito calhau fez um grande estardalhaço ao tocar nas paredes do poço, que eram de pedra e, ao chegar ao fundo, agitou as águas, acordando a Maria Gancha. Esta, zangada com o atrevimento do rapaz, subiu pela corda do balde com que se tirava a água, agarrou-o com os seus braços em forma de gancho e levou-o para o fundo e ali o afogou.
Os pais, preocupados com o desaparecimento do filho, procuraram-no em vão por todo o lado. Uma vizinha, quando no dia seguinte foi tirar água ao poço para fazer a janta, deu com ele a boiar no fundo.

Source AA. VV., - Literatura Portuguesa de Tradição Oral s/l, Projecto Vercial - Univ. Trás -os-Montes e Alto Douro, 2003 , p.HD15

Year2000

Place of collection Semelhe, BRAGA, BRAGA

CollectorJosé Leon Machado (M)

InformantFrancelina Machado (F), 67 y.o., Semelhe (BRAGA) BRAGA,

Narrative

When XX Century, 90s

BeliefUnsure / Uncommitted

Classifications