A lenda de Vila Seca

APL 1032

Numa tarde de muito calor, passou um cavaleiro desconhecido por Vila Verde.
Cansado e cheio de sede, bateu à porta de um morador e pediu-lhe um púcaro de água.
O sol escaldava e o dono da casa, que dormia a sesta, acordou mal disposto e, em vez de matar a sede ao viajante desconhecido, bateu a porta com estrondo e negou-lhe a água.
O cavaleiro, desconsolado, lançou então uma maldição sobre esta terra, em voz que toda a gente pôde ouvir:
− Não mais serás Vila Verde, mas passarás a ser Vila Seca.
E a partir daí as fontes secaram e Vila Verde passou a ser conhecida por Vila Seca.

Source AA. VV., - Literatura Portuguesa de Tradição Oral s/l, Projecto Vercial - Univ. Trás -os-Montes e Alto Douro, 2003 , p.L1

Year2002

Place of collection Armamar, ARMAMAR, VISEU

CollectorIolanda Ferreira Aragão (F)

InformantAdelaide Ferreira (F), 75 y.o., - (VISEU) VISEU,

Narrative

When XX Century, 90s

BeliefUnsure / Uncommitted

Classifications