Os reis encantados

APL 1055

Contava-se que a povoação de Armamar não foi, de início, no sítio onde se encontra a vila actual. Ficava para os lados da Almoinha, onde terão aparecido objectos em ouro, alicerces de casas, restos de tijolos e fragmentos de louças de barro.
Em tempos remotos, havia aí um rei e uma rainha que viviam num palácio.

Certo dia, andavam os lavradores a trabalhar nos campos quando sentiram um alvoroço muito grande. Passados momentos, viram um cordão enorme de formigas gigantes que destruíam tudo à sua passagem e matavam as pessoas.
No fim, restaram ainda algumas pessoas. Mas o rei e a rainha apareceram mortos. Os moradores pegaram então neles e meteram-nos cada um em sua urna, colocando-as num túnel.
Diz-se então que, se alguém se atrever a ir a esse túnel e abrir a urna do rei, morrerá logo; e se abrir a da rainha, não só não morrerá, como a rainha ressuscitará e o túnel transformar-se-á todo em ouro.

Source AA. VV., - Literatura Portuguesa de Tradição Oral s/l, Projecto Vercial - Univ. Trás -os-Montes e Alto Douro, 2003 , p.L26

Year2002

Place of collection-, VISEU, VISEU

CollectorIolanda Ferreira Aragão (F)

InformantJosé Rodrigues (M), 78 y.o., - (VISEU) VISEU,

Narrative

When XX Century, 90s

BeliefUnsure / Uncommitted

Classifications