A Avó Velha Regressa

APL 2554

Foi uma comadre, uma amiga minha, quase da mesma idade, que tinha uma filha para ir para a escola. E então ela ia trabalhar e a miúda ia para a escola, até que um dia a professora mandou chamar a mãe que a menina não ia à escola. E ela disse: -Eu vou trabalhar, e eu não sei se a minha filha vem para a escola ou não. Eu mando-a para a escola. Só que um dia eu procurei a razão porque ela não ia à escola, e ela disse que ali na estrada em que ela ia para a escola, onde havia umas alfarrobeiras, e então ela disse: -Oh mãe, eu vejo a avó velha debaixo da alfarrobeira! Que era a bisavó da mãe. O pai agarrou na miúda, na bicicleta, e quando chegou àquela alfarrobeira, teve de parar que a bicicleta não andava. E então o pai…a miúda dizia para o pai: -Está ali a avó velha!, Está ali a avó velha!, e não queria ir para a escola. E esse senhor, o pai, como não se queria crer nessas coisas diz para a miúda perguntar o que é que ela queria. E a avó velha, ou seja, a bisavó da mãe, disse: -Olha vaiam pagar à Nossa Senhora da Piedade, pão e azeite, porque eu prometi uma promessa e não paguei. E então a miúda disse… a mãe da miúda disse às pessoas da família, que pertenciam à avó velha, para irem à Nossa Senhora da Piedade, levar pão e azeite aos pobres que estavam lá à porta da igreja. E foram. A miúda daí para a frente já não via ninguém. E eu acredito, porque a miúda andou muito doente, e os médicos não davam com a doença. E ela hoje já é uma senhora e é casada e tem filhos.

Fonte Biblio AA. VV., - Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas) Faro, n/a,

Ano2008

Place of collection-, FARO, FARO

ColectorHelder Macário (M)

InformanteVitalina Pires dos Santos (F), 81 y.o., born at - (FARO) FARO,

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications