A bicha-moura do carreiro do Moinho Velho

APL 604

Quem me narrou esta história, viu, uma vez, a bicha-moura a escorregar pelo carreiro do Moinho Velho, que leva ao Uíma, ao moinho do Ferreiro. Na cabeça, formosa trança de cabelos louros. Levava na boca um seixo branco, roliço, de pequenas dimensões. Chegando ao rio, arremessou-se à água. O seixo transformou-se em gigante penedo, que atravancava de uma margem à outra.
 Vê-se hoje dele, no rio, alguns grandes fragmentos. Diz-se que foi despedaçado com tiros de dinamite por se supor que guardava, nas suas entranhas, valioso tesouro.

Fonte Biblio SOUSA, Arlindo de O Concelho da Feira. História. Etnografia. Arte. Paisagem. Espinho, Tipografia Espinhense, s/d , p.40

Place of collection Feira, SANTA MARIA DA FEIRA, AVEIRO

Narrativa

When XX Century, 90s

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications