A capela do Diabo

APL 3099

Próximo de Pinhal do Norte, num sítio chamado Rebentão, há umas fragas que formam o feitio de uma capela. É a “capela do Diabo”. O povo sempre lhe chamou assim, e nós eramos pequenas não nos aproximavamos muito pois tinhamos muito medo aquele lugar.
E mais a baixo estão os “sinos de Braga”. Aquilo são duas fragas muito grandes, que têm um buraco. Quando as pessoas ali passam, duas ou três, há uma que diz:
— Olha, vai ali ouvir os sinos de Braga!
E vai então, mete a cabeça no buraco para ouvir. Há quem diga que se ouve, mas o que acontece é que há sempre alguém que vai por trás e... tumba!, dá-lhe com a cabeça na fraga. E então e que ouve mesmo!

Fonte Biblio PARAFITA, Alexandre Património Imaterial do Douro (Narrações Orais), Vol. 2 Peso da Régua, Fundação Museu do Douro, 2010 , p.198

Ano2009

Place of collection Pinhal Do Norte, CARRAZEDA DE ANSIÃES, BRAGANÇA

InformanteLucinda Caetano (F), 61 y.o.,

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications