A cobra e os fios de ouro

APL 3114

Numa fraga à ida para a nossa horta (no Gorgolão, sítio da freguesia de Zedes), uma vez passou lá uma mulher. Uma cobra saiu de uma fraga muito grande que até mete medo e disse:
— Abre os braços!
A mulher apavorada não demorou a abri-los. A cobra pôs-lhe nos braços fios de ouro e começou a fiá-los. Cada vez eram mais. A mulher já não podia com o peso:
— Ai, meu Deus, que já não posso mais! — exclamou a mulher.
Como a mulher falou em Deus, quebrou o encanto e a cobra fugiu para dentro da fraga. Ainda ninguém sabe se a cobra lá está.

Fonte Biblio PARAFITA, Alexandre Património Imaterial do Douro (Narrações Orais), Vol. 2 Peso da Régua, Fundação Museu do Douro, 2010 , p.220

Ano2002

Place of collection Zedes, CARRAZEDA DE ANSIÃES, BRAGANÇA

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications