A cobra moura

APL 1024

Contam que, quando houve as invasões dos Mouros, foi enterrado um tesouro no lugar das Penices, entre Balazar e Gondifelos, e que até aos dias de hoje ali está guardado por uma cobra moura. Esta cobra tem uma diferença em relação às outras.
Dizem que na parte superior do seu corpo, ela está revestida por uma espécie de cabeleira. Muitas pessoas admitem tê-la visto a deambular pelos montes.
Segundo se conta, de vez em quando ouve-se a partir da meia-noite sinos a tocar no cimo do monte, que têm um toque diferente do normal. Muitas pessoas dizem ter ouvido esse toque e tentaram descobrir o local exacto seguindo o som da melodia. No entanto, até agora ninguém conseguiu lá chegar, por mais que tentassem, já que eram detidos a meio do caminho.
Um dos casos mais conhecidos foi o de uma senhora que morava perto do local.
Certa noite, encantada pelo som melodioso dos sinos, tentou subir o monte para descobrir o que lá existia realmente. Contudo, quando chegou a meio do caminho, sem saber como, caiu, mas nem sequer apresentou ferimentos graves.
Corre o rumor de que, para descobrir esse tesouro, terá de se encontrar a cobra moura e picá-la sem a matar.
No local das Penices foram descobertos de facto vestígios sobre a vida dos Mouros. Mas o tesouro até à data não foi descoberto. E ainda hoje há moradores que afirmam ouvir o toque dos sinos a partir da meia-noite.

Fonte Biblio AA. VV., - Literatura Portuguesa de Tradição Oral s/l, Projecto Vercial - Univ. Trás -os-Montes e Alto Douro, 2003 , p.ME13

Ano2000

Place of collection Balazar, PÓVOA DE VARZIM, PORTO

ColectorManuela da Costa Santos (F)

Narrativa

When XX Century, 90s

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications