A Cortiçada

APL 671

Proença-a-Nova, uma das doze vilas do Grão-Priorado do Crato, povoação muito antiga situada entre as ribeiras do Alvito e da Isna, do distrito de Castelo Branco, chamou-se primitivamente Cortiçada e depois Vila Melhorada. Deu-lhe foral D. Afonso III.
 A respeito do nome de Cortiçada, diz a lenda que se formou ou lhe veio do facto de os seus habitantes, vendo brilhar a Lua no firmamento, quererem possui-la.
 Para isso puseram cortiços sobre cortiços e, sobre a improvisada torre, um homem.
 Como ele dissesse, em certa altura, que só faltava um cortiço para chegar à Lua, alguém alvitrou que, não havendo mais cortiços, se tirasse o do fundo e se passasse para cima.
 Com a deslocação, deu-se o inevitável: a derrocada.
 Os assistentes exclamaram:
 — Lá vai a cortiçada! 
 Daí o nome da povoação.
 Alguns naturais, gente simples, boa e trabalhadora, apesar de só muito remotamente ter sido dado à sua vila este nome, ainda se melindram ao ouvir dar-lhe a designação de Cortiçada, nome que sem dúvida os poderes públicos lhe conferiram em razão da sua grande riqueza corticeira. A explicação maldosa, que redundou em lenda, deve provir da rivalidade de povos de outros tempos.

 

Fonte Biblio DIAS, Jaime Lopes Contos e Lendas da Beira Coimbra, Alma Azul, 2002 , p.99-100

Place of collection Proença-A-Nova, PROENÇA-A-NOVA, CASTELO BRANCO

Narrativa

When XX Century, 50s

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications