A Cova dos Maus

APL 3664

Há um sítio próximo da aldeia da Seara, no concelho de Montalegre, que é conhecido como a “Cova dos Maus”. Diz o povo que os mouros estiveram ali degradados. E também se diz que deixaram lá enterrado um pote cheio de moedas de ouro.
    Conta-se na Seara que, há muitos anos, dois homens daquele lugar, um da “Casa do Pires” e outro da “Casa D’Além”, resolveram um dia ir à procura desse tesouro. Andaram vários dias a escavar, e nada. Por fim, o Pires sentiu a picareta a embater num objecto estranho, de cor escura, e, para que o outro não desse conta, disse:
    — Já estou cansado de tanto escavar para nada. Vamos mas é comer e voltamos cá depois.
    O outro concordou e lá foram. Só que, enquanto o da “Casa D’Além” foi a casa comer, o Pires voltou para trás e foi continuar a escavar. Saiu-lhe então um pote de ferro, cheio de moedas de ouro. E tratou logo de guardar tudo para si, sem nada dizer ao companheiro.
    Com aquele ouro começou uma casa, mas nunca foi terminada. A sua vida deu em andar para trás. E quando o dinheiro acabou disse:
    — Esta casa fica como espelho para a Seara.
    Ficou como castigo da sua ganância. Essa casa ainda existe e nunca chegou a ser terminada. As pessoas olham para ela com desconfiança e medo. E não gostam de passar lá perto, com medo que a vida lhes ande para trás.

Fonte Biblio PARAFITA, Alexandre A Mitologia dos Mouros: Lendas, Mitos, Serpentes, Tesouros Vila Nova de Gaia, Gailivro, 2006 , p.304-305

Ano2000

Place of collection Salto, MONTALEGRE, VILA REAL

InformanteMaria de Fátima Fernandes Alves (F), 49 y.o.,

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications