A Cruz de João de Amores

APL 2247

Entre Souto e Vila Boa, concelho do Sabugal, na estrada, há um cruzeiro, chamado Cruz de João de Amores.
 Por cruzeiro entende-se uma pedra de forma de estrela, em cuja parte antero-superior se esculpiu de relevo uma cruz, e na inferior se abriu uma cavidade para lá se pintarem umas alminhas.
 Conta-se o seguinte:
 
 No Souto havia um rapaz, que andava de amores com uma rapariga de Vila Boa. Uma noite, foi para lá para ir vê-la. Alta noite, a mãe, que estava na cama, disse para o marido: «Levanta-te, Fulano, que eu sonho que o nosso João anda em luta com os lobos». O pai do rapaz levantou-se e foi à loja ver se o filho lá estava e viu um volume na cama coberto com a roupa; supôs que era o filho e voltou para a cama, dizendo à mulher que o rapaz estava. Passado pouco tempo, a mulher repetiu o que já tinha dito, e o homem desceu outra vez; mexeu na cama e encontrou urna faixa de palha, que o rapaz tinha lá deixado para fingir que era ele. Então, o homem partiu para Vila Boa e, ao chegar perto do sítio onde está hoje o cruzeiro, sentiu lutar e viu faíscas deitadas por uma espada que batia em pedra. Era o filho a lutar com os lobos e que logo em seguida o comeram, deixando-lhe apenas os pés dentro das botas.

Fonte Biblio VASCONCELLOS, J. Leite de Contos Populares e Lendas II Coimbra, por ordem da universidade, 1966 , p.696

Ano1925

Place of collection-, SABUGAL, GUARDA

Narrativa

When

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications