A fonte da Chuzaria

APL 3701

Andava um homem a lavrar com dois burros num campo, em Larinho, do concelho de Moncorvo. A certa altura, como fazia muito calor, teve sede e foi beber à fonte da Chuzaria. E reparou então num fio de ouro que estava no fundo da água.
    Começou a puxar por ele, a puxar, a puxar, e o fio nunca mais acabava. Como já tinha passado muito tempo, o lavrador puxa-o com força e o fio quebrou. Nesse momento, ouviu a voz de uma moura encantada, que disse:
    — Ó desgraçado, que me dobraste o encanto! Mas mesmo assim vem cá todos os dias e encontrarás seis vinténs.
    O lavrador passou então a ter aquele rendimento, e por isso deu em ir todas as noites para a taberna jogar. A dada altura, começou a perder, sempre a perder, e disse aos colegas:

— Troco e volto a trocar
enquanto a fonte da Chuzaria me der seis vinténs,
não deixarei de jogar!

    Ao outro dia, voltou ao mesmo local e dinheiro nem vê-lo. Mas, pior que isso, a fonte secou completamente. E assim continua.

Fonte Biblio PARAFITA, Alexandre A Mitologia dos Mouros: Lendas, Mitos, Serpentes, Tesouros Vila Nova de Gaia, Gailivro, 2006 , p.331-332

Ano2000

Place of collection Larinho, TORRE DE MONCORVO, BRAGANÇA

InformanteVirgínia da Conceição Ferreira (F), 61 y.o.,

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications