A Fonte da Moura

APL 3707

Em Nozelos, a pouco mais de meia hora de caminho de Lebução, existe uma casa grande abandonada, com uma quinta à volta onde está uma fonte de água fresca a correr noite e dia. Diz o povo que essa casa pertenceu ao mouro mais rico da região. Esse mouro tinha uma filha chamada Zaida, que era muito bonita e a quem não faltavam pretendentes. No entanto, o seu pai não tinha pressa em a casar.
    Acontece que, a dada altura, a jovem começa a dar mostras de estar apaixonada e o seu pai descobre que o moço era um cristão que ali veio ter sem se saber de onde. Por isso pôs a filha sob vigilância e ameaçou de morte os escravos que encobrissem os seus encontros com ele. Mas nem assim conseguiu saber de que modo eles se encontravam.
    Um dia, cansados desta situação, os dois jovens decidem fugir. Numa noite de Agosto, com o luar a inundar a paisagem, Zaida chega ao portão onde o amante a esperava, ergue os olhos para o céu e agradece ao seu Deus ter-lhe dado a coragem para fugir. Contudo nesse momento uma força superior transforma-o a ele numa fonte e a ela numa serpente. E por isso já não puderam sair dali.
    Diz o povo que o Deus de Zaida não aprovou uma união de diferentes religiões, pelo que encantou para sempre aquele par de namorados. E diz também que, em certas noites de Agosto ao luar, é possível ver a serpente a ir beber naquela fonte, conhecida como “Fonte da Moura”, onde vai matar saudades.

Fonte Biblio PARAFITA, Alexandre A Mitologia dos Mouros: Lendas, Mitos, Serpentes, Tesouros Vila Nova de Gaia, Gailivro, 2006 , p.335

Ano1999

Place of collection Nozelos, VALPAÇOS, VILA REAL

InformanteMaria da Graça Gomes (F), 54 y.o.,

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications