A Fraga do Tambor

APL 757

A meio da encosta da serra de Sendim, entre esta povoação e o Alto do Facho, encontra-se a Fraga do Tambor. Hoje já está meia destruída, mas era uma grande lancha, comprida onde a gente se punha numa ponta e, com um bocado de esforço, fazia-a bater na outra ponta, no outro cabeço, o que provocava um eco que se ouvia muito longe.
 Diziam os antigos que, quando havia a aproximação do inimigo, que eram então os mouros, para dar sinal na povoação, acendia-se no alto da serra uma fogueira, daí o nome Alto do Facho, e alguém ia também bater na Fraga do Tambor:
 — Pum! Pum! Puuuuuuum!
 Aquilo ouvia-se muito longe. E se era de noite, mais se ouvia ainda. Então o povo acordava e tratava de se proteger do inimigo.

Fonte Biblio PARAFITA, Alexandre Património Imaterial do Douro - Narrações Orais (contos, lendas, mitos) Vol. 1 Peso da Régua, Fundação Museu do Douro, 2007 , p.160

Ano2007

Place of collection Sendim, TABUAÇO, VISEU

ColectorAlexandre Parafita (M)

InformanteJosé dos Santos (M), 68 y.o., Sendim (TABUAÇO) VISEU,

Narrativa

When2007

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications