[A Gabardina Emprestada]

APL 2675

Foi um rapaz [e uma rapariga] ainda novos que namoravam e passearam e a rapariga morreu. Morreu e ele andou, andou (não sei se era sonho dele se era visão), andou com ela e ela desaparece completamente, mas antes estava tanto frio que ele emprestou-lhe a gabardina, para ela se tapar [colector: Então e ele não tinha conhecimento que ela tinha morrido? Não sabia?] Acho que sabia, mas ela apareceu-lhe e passearam, ou foi sonho dele ou foi verdade… O que foi verdade foi que ele disse:
- Eu quero ir, eu emprestei a minha gabardina a esta menina e eu não tenho a gabardina, mas ela realmente morreu, mas eu vi-a, eu estive com ela.
Foram ao cemitério e estava a gabardina dele na campa, mas entalada, com a tampa da campa que põe por cima.

Fonte Biblio AA. VV., - Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas) Faro, n/a,

Ano2006

Place of collection-, FARO, FARO

ColectorBruna Cristina Pinheiro (F) (18 y.o.)

InformanteAtailda Guerreiro (F), 72 y.o., born at - (FARO) FARO,

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications