A grade de ouro da Manguela

APL 603

Diz uma lenda, que aparece no rio Uíma, à superfície da água, em vários locais, na noite de S. João, uma grade de ouro.
 Contava meu pai que um lavrador tentou, numa noite de S. João, tirar do rio, no sítio da Manguela, de Canedo, a grade de ouro. Arranjou os touros pintos, não castrados. Logo que a grade surgiu à superfície da água, apôs-lhe os touros e conseguiu arrastá-la até ao meio do campo que margina o rio. Louco de contentamento, o lavrador exclamou: «Ela com deus cá vai». Mal acabou de pronunciar estas palavras, a grade e os touros precipitaram-se no rio. O pobre aldeão escapou milagrosamente.
 A grade de ouro aparece ainda todas as noites de S. João, mas ninguém, desde então, ousa tirá-la do rio. Dizem esses bons lavradores: «Pobreza com Deus muita; riqueza com o Demo pouca». Muitas vezes lhes ouço cantar: «O pouco que Deus me deu, / cabe numa mão fechada. / O pouco com Deus é muito, / muito sem Deus é nada».

Fonte Biblio SOUSA, Arlindo de O Concelho da Feira. História. Etnografia. Arte. Paisagem. Espinho, Tipografia Espinhense, s/d , p.2

Place of collection Canedo, SANTA MARIA DA FEIRA, AVEIRO

Narrativa

When XX Century, 90s

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications