A Igreja dos Milagres

APL 872

Na freguesia de Cambezes, do concelho de Monção, existe um Santuário dedicado a Nossa Senhora dos Milagres. Se em todas as invocações da Mãe de Deus o povo crente encontra a protecção milagrosa da Virgem, ao dar-lhe o nome de Senhora dos Milagres quer premiar um acontecimento que esteve na origem do Santuário.
 Havia uma senhora fidalga, de nome Eulália, que tinha esmero nas riquezas deste mundo e na educação dos filhos. Um dos seus filhos, chamado Damião, era uma criança alegre e brincalhona, como são todas as crianças de tenra idade. Mas o Damião parecia ultrapassar todos na brincadeira, descuidando-se por vezes nas mesmas. Bem a mãe procurava conter os seus entusiasmos, mas ele não parava de fazer as maiores tropelias:
 - Pára um pouco rapaz, senão ainda dás cabo de tudo!
 - Mãe, olha!
 E lá continuava a saltar e correr sem temer — para desespero da pobre mãe — qualquer obstáculo. Quando fazia as asneiras sem gente de fora por perto, D. Eulália ainda se contia nas repreensões, apesar de estar sempre de coração sobressaltado.
 Num certo dia festivo organizou a família Pereira de Castro um jantar de cerimónia, para o qual convidou os amigos e familiares mais chegados. Estavam todos à mesa, incluindo os filhos, O Damião foi ouvindo as conversas e os comentários dos comensais. Até que, criança que era, pegou numa das pontas da toalha e puxou-a com tal força que lançou ao chão a louça toda que estava em cima da mesa! A D. Eulália nem queria acreditar que ele fizera aquilo, logo no dia em que tinha convidados em casa. Desesperada pelo incómodo da situação, num gesto irreflectido gritou-lhe bem alto, para surpresa de todos:
 - Malvado tu sejas! Que fiques tolhido toda a vida de pés e mãos!
 A verdade é que a partir daquele dia a criança ficou paralisado de pés e mãos! Ao ver o que aconteceu ao seu filho, D. Eulália sentiu que o castigo de Deus tinha caído sobre as suas monstruosas palavras. Arrependida e perseguida pela culpa de tal desgraça para seu filho, levantou o coração de mãe aflita para a Mãe de Cristo:
 - Senhora das Dores, tu que também és mãe e choraste pelo sofrimento do teu filho, suplico-te que me concedas o milagre da cura do meu filho! Prometo-te que caso ouças o meu pedido construirei aqui uma igreja que não haverá maior pelas redondezas.
 O arrependimento e a sua dor eram grandes, mas a fé era ainda maior. Se alguns viam na criança doente um castigo merecido, outros viram uma oportunidade para Deus manifestar o seu poder. As preces de D. Eulália foram ouvidas e o menino recuperou todas as suas forças. - Milagre! Foi a palavra que mais se ouviu na boca de todos.
 E foi assim que se cumpriu o prometido, erguendo o Santuário onde hoje todos veneram a Senhora dos Milagres, como memória da protecção da Senhora, mãe de Deus.

Fonte Biblio CAMPELO, Álvaro Lendas do Vale do Minho Valença, Associação de Municípios do Vale do Minho, 2002 , p.121

Place of collection Cambeses, MONÇÃO, VIANA DO CASTELO

InformanteAntónio Lourenço (M), 89 y.o., Cambeses (MONÇÃO) VIANA DO CASTELO,

Narrativa

When XX Century, 90s

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications