A lenda da horta de cabo

APL 1863

Isto passou-se na Horta do Cabo. Havia uma rapariga que se chamava Rosa, ela era muito bonita e vivia com o pai a mãe e o marido que se chamava António. Uma noite ela ouviu uma voz a dizer que havia um príncipe encantado em touro e para o desencantar ela teria de ter coragem para lhe limpar a baba à meia noite quando ele viesse daqueles cerros por aí abaixo. Se ela conseguisse limpar a baba ele transformava-se em príncipe e se ela não conseguisse dobrava-lhe o encantamento e ela também já não iria ter sorte. Isto foi-lhe dito ao pé de um tanque onde as pessoas iam lavar [ainda hoje está lá esse tanque] e a voz era de um bicho, da cintura para cima era gente da cintura para baixo era serpente.
 A Rosa concordou em limpar a baba ao touro. Mas o touro demorou dias ou semanas e ela começou a andar triste, o marido não sabia o porquê até que ela lhe disse. Ele depois de saber a história ele disse que iria com ela para ela não te medo, nessa noite de São João, ela pôs-se ali para limpar a baba. E de repente começou a ver o touro por aqueles cerros do Parbeco abaixo, para entrar pelo portão principal, mas ela não teve coragem, deixou-se cair e o touro disse: “ai que me dobraste o encantamento”. Então o touro desapareceu e ela começou a definhar, a definhar até que morreu e ainda hoje dizem que nas noites de São João que aparece o touro e ouvem-no naqueles campos.
 Não sei se será verdade.

Fonte Biblio AA. VV., - Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas) Faro, n/a,

Ano2005

Place of collection Messejana, ALJUSTREL, BEJA

ColectorMarta Charneco (F)

InformanteMaria Vitória Ruas (F), 65 y.o., born at Messejana (ALJUSTREL) BEJA,

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications