A lenda de Vala Dranjo

APL 3084

Conta-se que vivia na antiga vila de Ansiães, no castelo, um grupo de mouros temidos por todas as povoações vizinhas. O pároco, com a ajuda da sua freguesia, decidiu elaborar um plano para acabar definitivamente com os mouros.
Mandou reunir todos os rebanhos de cabras existentes nas redondezas e nos chifres dos animais foi colocado um archote preso e atacariam de noite. Chegada a noite, os homens e todo aquele exército de cabras subiram a íngreme ladeira da vila de Ansiães, com seus archotes iluminados, aparentando ao longe uma grande massa humana com os archotes nas mãos.
Os mouros, perante tal espectáculo, fogem apressadamente para o vale onde os aguardavam valentes homens decididos a matá-los. Ali os mouros, junto com o seu chefe Aldranjo, foram chacinados. No lugar na chacina existe uma cruz a assinalar a morte e ao mesmo tempo a vitória. Ainda hoje os habitantes de Marzagão designam o lugar da chacina de Vala Dranjo e outros Vala Dreinjo. O mesmo situa-se no sopé do monte, onde assenta a vila de Ansiães e alarga-se para o terreno onde se encontra Marzagão.

Fonte Biblio PARAFITA, Alexandre Património Imaterial do Douro (Narrações Orais), Vol. 2 Peso da Régua, Fundação Museu do Douro, 2010 , p.184

Ano2004

Place of collection Marzagão, CARRAZEDA DE ANSIÃES, BRAGANÇA

InformanteMaria Adelaide Moutinho (F), 80 y.o.,

Narrativa

When XII Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications