A Lenda dos mouros I

APL 1174

Há muitos anos atrás no tempo dos meus bisavôs existiam mouros, cá na Pampilhosa. Certo dia, e estando de bebé uma das mouras e chegada a hora do parto, o marido da moura mandou chamar a parteira que era a minha bisavó. Foi lá então o mouro chamar a parteira e levou-a para uma mina e ela ficou cheia de medo. No fim do parto o mouro foi a uma arca encheu uma medida de carvão e disse para ela aparar a “aba” e ele colocou-lhe lá o carvão, e ela pensou para com ela mas para que é que eu quero isto, deixando cair os pedaços de carvão, vindo atrás o mouro apanhando os pedaços de carvão que ela deixava cair.
 Chegando a casa a parteira colocou o carvão numa arca. Chegado o domingo de Páscoa indo o Senhor padre dando a beijar a cruz colocou a cruz com o nosso Senhor em cima da arca onde estava o carvão.
 Passado um bocado começaram a ouvir estalar, intrigados olharam uns para os outros. Assim que o senhor padre saiu cheios de curiosidade abriram a arca. Ficaram admirados pois o carvão tinha-se transformado em pedaços de ouro. Ficando a parteira com pena dos pedaços de carvão que tinha deixado cair.

Fonte Biblio MOURA, José Carlos Duarte Histórias e Superstições na Beira Baixa Castelo Branco, RVJ editores, 2008 , p.23

Place of collection Pampilhosa Da Serra, PAMPILHOSA DA SERRA, COIMBRA

Narrativa

When XX Century, 90s

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications

TypesChristiansen 5070 Midwife to the Fairies