[A Moira de Guifões]

APL 2282

Uma vez andava uma rapariga a guardar uma vaca, e a vaca fugia-lhe todos os dias; a rapariga foi atrás dela e chegou a uma mina, onde ouviu uma voz de moira que lhe disse que levasse lá todos os dias a vaca, e em paga lhe daria um vaso, que ela não deveria abrir, senão passado um ano.
 A rapariga não se conteve que não abrisse o vaso. Estava cheio de bugalhas amarelas, quase mudadas em ouro.

Fonte Biblio VASCONCELLOS, J. Leite de Contos Populares e Lendas II Coimbra, por ordem da universidade, 1966 , p.784

Place of collection Guifões, MATOSINHOS, PORTO

Narrativa

When

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications