A Moira de Mantil

APL 2259

Uma vez uma rapariga andava a gòrdar um bando de cabras ao pé do Penedo do Gato. Abriu-se ali um penedo (outro) e apareceu-lhe uma moira que lhe disse que lhe desse uma pinga de leite. A rapariga respondeu que não tinha em quê. E a moira mandou-a a casa buscar um pucarinho e disse-lhe que entretanto guardava as cabras. A rapariga foi e trouxe-o e mõijeu uma cabra ou duas para dar leite à moira. Esta em paga deu-lhe o tal pucarinho cheio de bugalhos e desapareceu. A rapariga, como inocente, foi espalhando deles pelo caminho até que chegou a casa só c’um.
 A mãe pegou nele e malhou com ele para trás do trafogueiro. Ao cabo de dois dias acharam lá uma peça de oiro, que estava encantada no bugalho. Quanto aos outros bugalhos, à medida que a rapariga os deitava fora, a moira, sem ela ver, ia encostada num bicho a apanhá-los. De modo que, quando a rapariga voltou a procurá-los, já não os topou.

Fonte Biblio VASCONCELLOS, J. Leite de Contos Populares e Lendas II Coimbra, por ordem da universidade, 1966 , p.747

Place of collection-, LOURES, LISBOA

Narrativa

When

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications