A morte do urso

APL 375

Estanciavam em Monte Real o Rei D. Dinis e sua mulher a Rainha Santa Isabel, talvez em tratamento das águas sulfúreas que já ali havia e tão grande fama têm hoje.
 O Rei entretinha seus ócios percorrendo os campos matagosos em exercícios venatórios.
 Um dia D. Dinis saiu cedo e só, montando o seu fogoso cavalo, em busca de caça grossa.
 Correu, correu, e, já longe, surgiu-lhe ao caminho um corpulento urso que, rápido e musculoso, derruba o Rei agarrando-o pela cintura e caindo-lhe em cima.
 Nesta situação difícil, em que não podia mover-se, o Rei lembrou-se dos milagres que se atribuíam a S. Luís, Bispo de Tolosa, e ainda parente da Rainha Santa Isabel, sua mulher, e invoca a sua protecção.
 De pronto aparece S. Luís que diz ao Rei para matar o urso com o punhal que tinha a cinta.
 O Rei assim fez enterrando a lâmina no grosso corpo do pesado animal, que caiu, redondo, no chão, libertando D. Dinis da posição em que o tinha.
 Rápido, o Rei levantou-se e montou no seu cavalo, correndo célere em direcção ao Paço onde estava a Rainha.
 No caminho, porém, encontrou um lavrador e, parando, perguntou-lhe de onde era, ao que o bom do homem não sabendo a quem falava, respondeu:
 “Eu sou daquela aldeia, aqui na serra, onde fazem o comer para El-Rei a quem Deus dê má sorte”.
 Estranhando tais desejos perguntou-lhe D. Dinis que mal lhe tinha feito El-Rei para lhe desejar tanto mal, ao que o lavrador respondeu:
 “Sempre vos digo, escudeiro, pois me pareceis homem de bem, que o oficial do Rei, encarregado do comer, me tomou à força uma vaca, três carneiros e quatro galinhas, sem nada pagar, dizendo que era para El-Rei, que é Deus da terra, nem pagou coisa alguma que tomou na aldeia”.
 D. Dinis ao ouvir tais acusações convidou o lavrador a acompanhá-lo, o que ele fez convencido de que se tratava de um escudeiro.
 Chegados a Monte Real o Rei mandou pagar todas as despesas feitas com as gentes da terra e castigou severamente o oficial que tomara os gados e géneros do povo, sem pagar, para que servisse de exemplo aos outros oficiais.
 O urso foi mandado passear pelas ruas de Monte Real ao mesmo tempo que o milagre se espalhava por toda a região e se tomava conhecido o local da morte do urso por Serra de Porto do Urso.

Fonte Biblio CABRAL, João Anais do Município de Leiria, Vol. III Leiria, Câmara Municipal de Leiria, 1993 , p.222-223

Place of collection Monte Real, LEIRIA, LEIRIA

Narrativa

When XX Century, 90s

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications