A moura e a corrente de ferro

APL 3087

Diz a lenda que no poço do Mogo foi encantada uma moura. Às vezes parece que de dentro do poço se ouve um murmúrio, depois escuta-se como que o ruído forte de ferragens. É a moura a arrastar a corrente de ferro a que está presa.
Numa noite de grande escuridão, passou por ali um homem e aos seus ouvidos soaram soluços de alguém que chorava. Perguntou quem estava ali e a resposta foi o silêncio. Mas fixou os olhos e pareceu-lhe ver, sentada junto do poço, num bloco de pedra, a figura da uma mulher. Depois aproximou-se e o vulto desapareceu, arrastando a corrente de ferro. Então debruçou-se a olhar para dentro até que decidiu averiguar. E na noite de S. João via surgir uma grande cobra que, mergulhando nas águas da fonte, se transformou na linda mourinha que se pôs a pentear longas horas. O rapaz afastou-se e a moura voltou ao tanque e momentos depois, perante a sua decepção, volvia em terrível cobra.

Fonte Biblio PARAFITA, Alexandre Património Imaterial do Douro (Narrações Orais), Vol. 2 Peso da Régua, Fundação Museu do Douro, 2010 , p.188

Place of collection Mogo De Malta, CARRAZEDA DE ANSIÃES, BRAGANÇA

InformanteMaria do Amparo Lages (F), 66 y.o.,

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications