“A Moura Encantada”

APL 1997

Albufeira era rodeada por muralhas e, onde o mar batia nessas muralhas, há uma zona, aqui em Albufeira, que chamam a Bateria que era a muralha sobre o mar. Era donde os mouros viam quando os vinham atacar. Então, o chefe (não sei... era príncipe, se como é que era...) tinha uma mulher muito bonita, uma moura muito linda. E então, há 500 anos atrás, mais ou menos (mais para mais do que para menos), quando os portugueses vieram nos barcos para atacar Albufeira, nessa altura Albuera, vinham para desembarcar na actual praia dos pescadores, que era uma zona mais baixa com mais acesso à terra.

 A moura estava na dita bateria. Assustou-se, e então com medo que os portugueses não a apanhassem, não a fizessem mal, atirou-se da muralha abaixo. Ora, dali abaixo que está cheio de rochas, logo está logo o mar. Actualmente há uma praia, mas antigamente o mar, como estava mais junto à terra, era rocha e mar, e então ela deve ter caído e faleceu, nunca mais niguém a viu. Mas dizem que, em noites de lua cheia, que ela aparecia na Bateria, sentada ao luar, a pentear o cabelo dourado.

Fonte Biblio AA. VV., - Arquivo do CEAO (Recolhas Inéditas) Faro, n/a,

Ano2005

Place of collection Albufeira, ALBUFEIRA, FARO

ColectorJoão Coelho (M)

InformanteGraça Sousa (F), Albufeira (ALBUFEIRA) FARO,

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications