A moura que varre

APL 3690

Sempre ouvi contar aos antigos que num local denominado Viso, junto à margem esquerda do rio Corgo, entre as freguesias de S. Miguel de Lobrigos e de Alvações do Corgo (S. M. Penaguião), há um encanto numa fraga. Dizem que é uma moura encantada em serpente e a guardar um pote de moedas de ouro.
    Tem-se ouvido também dizer que à entrada da fraga está sempre tudo muito limpo e varrido, e que é a moura que varre. Contaram-me que há quem tenha por lá passado num dia com o gado, deixando o chão todo sujo, mas ao outro dia aparece tudo muito varrido.
    Diz-se também que a rocha dá entrada para uma mina, e que, entrando lá, se acham umas escadas em pedra, cavadas na rocha. Quem lá entrou, só entrou até certa altura, pois a partir daí o medo é grande. Até dizem que já houve quem pegasse no pote cheio de moedas, mas que o medo foi tanto que logo deitou tudo a perder.

Fonte Biblio PARAFITA, Alexandre A Mitologia dos Mouros: Lendas, Mitos, Serpentes, Tesouros Vila Nova de Gaia, Gailivro, 2006 , p.322

Ano2001

Place of collection Lobrigos (São Miguel), SANTA MARTA DE PENAGUIÃO, VILA REAL

InformanteFrancisco Morais (M), 40 y.o.,

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications

MotivosTh [N512.] Treasure in underground chamber (cavern)