A parteira e a moura

APL 3583

Na margem do rio Tâmega, onde hoje existe a conhecida Quinta dos Machados, diz a tradição ter vivido uma moura muito rica no seu palácio encantado. E quando estava para a dar à luz mandou um criado chamar uma parteira a Chaves, ordenando que viesse com os olhos vendados.
    A parteira lá foi, e ajudou a moura a dar à luz uma linda mourinha. Foi grande a alegria no palácio e, em paga pelos serviços da parteira, a moura entregou-lhe um cofre para as mãos, dizendo:
    — Aqui tens a paga pelo favor que me fizeste. Mas só amanhã é que podes abrir o cofre.
    Ora, a parteira, ao ver tanta riqueza no palácio, regressou a casa bem contente, pois pensava ela que o que estaria no cofre só podia ser coisa muito valiosa. Contudo, a curiosidade foi tanta que não aguentou esperar pelo dia seguinte. Logo que chegou a casa tratou de abrir o cofre. E qual não foi o seu espanto ao ver que o cofre apenas continha bocados de carvão.
    Irritada com o desplante da moura, pegou nos carvões e atirou-os para o quinteiro. No dia seguinte, pegou de novo no cofre para lhe dar alguma utilidade… e o que viu ela? No fundo do cofre estavam a reluzir alguns pedacinhos de ouro. Logo se arrependeu de ter deitado fora os outros carvões e foi saber deles ao quinteiro. Só que já lá não encontrou nada.

Fonte Biblio PARAFITA, Alexandre A Mitologia dos Mouros: Lendas, Mitos, Serpentes, Tesouros Vila Nova de Gaia, Gailivro, 2006 , p.243-244

Ano2001

Place of collection-, CHAVES, VILA REAL

InformanteMaria Fernanda Martins (F), 46 y.o.,

Narrativa

When XX Century,

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications

TypesChristiansen 5070 Midwife to the Fairies