A Ponte dos Cavaleiros

APL 876

Antigamente, a terra onde hoje fica a freguesia de Vascões não tinha casa alguma. Por aquela altura tinham vindo para Portugal vários fidalgos espanhóis que se ofereceram ao nosso rei D. Fernando para tomar o reino de Castela, que era governado pelo assassino D. Henrique, que matou o seu irmão D. Pedro. Os fidalgos, receosos do fratricida, viram no bisneto de D. Sancho IV um legítimo pretendente ao trono. Aos que aqui ficaram, beneficiou-os D. Fernando com terras e comendas. Um desses nobres foi D. Garcia Rodrigues de Caldas de Lima, que veio a casar com D. Leonor de Sousa Magalhães.
 Diz-se que, mais tarde, D. Garcia, triste por não ter sido suficientemente premiado pelos seus esforços na guerra em favor de D. João I, se retirou para Vascões, onde povoou a freguesia com a sua gente, e constituiu nela o solar na casa da chã do Souto, vindo ela a chamar-se Paço, como ainda hoje é conhecida.
 Um dia, vinha o nobre homem com sua digníssima Senhora, a cavalo. Era preciso atravessar o rio, o que fizeram num local a seguir a Bico, pois não existia ali qualquer ponte que lhes facilitasse a passagem.
 Estavam eles e sua comitiva a passar o rio, quando, depois de um movimento mais repentino da montada de D. Leonor, se soltou um sapato à fidalga Senhora. Como a corrente, naquele dia, estava um pouco forte, o sapato caído desapareceu logo rio abaixo! Vendo o sucedido, D. Garcia resolveu ali construir uma ponte, para que mais nenhum malefício importunasse a sua fidalga gente.
 Como era muito rico, dispôs do dinheiro necessário para urgir os materiais precisos. Entregaram-se todos à construção da ponte, principalmente os cavaleiros que com ele moravam no Paço. Por esta razão, a ponte ficou a ser conhecida para sempre como a Ponte do Cavaleiros!

Fonte Biblio CAMPELO, Álvaro Lendas do Vale do Minho Valença, Associação de Municípios do Vale do Minho, 2002 , p.137

Place of collection Vascões, PAREDES DE COURA, VIANA DO CASTELO

InformanteSr. Capela (M), Vascões (PAREDES DE COURA) VIANA DO CASTELO,

Narrativa

When XX Century, 90s

CrençaUnsure / Uncommitted

Classifications